sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Ruim um pouco demais

Wade finge que precisa mijar para poder dar o fora


O Quentin Richardson continua sua turnê pelos piores times da NBA. Desde o fim da temporada passada, já passou por Grizzlies, Clippers e Wolves. Mantendo a temática de seu passeio pelos Estados Unidos, imaginei que ele fosse acabar parando no Kings, mas na verdade ele acaba de ser mandado para o Heat. Não que a equipe de Miami seja tão horrível quanto as outras que Quentinho andou visitando, mas o Wolves tem potencial demais e, com uma carta aberta explicando que a pirralhada de lá vai ter minutos mesmo que isso signifique perder feio, uma troca era meio inevitável.

Nesse momento, ninguém em sã consciência quer o Quentin Richardson jogando em seu time. É verdade que ele é um bom arremessador de fora e um ótimo reboteiro para sua posição, mas sua mentalidade de "eu arremesso até minha mãe se eu puder" anda muito em baixa na NBA. Com um contrato exageradamente inflado (agradeça ao Nash por ter garantido o leitinho das crianças) e uma postura indesejada dentro das quadras, Quentinho só tem valor mesmo porque seu contrato termina ao fim da próxima temporada e gera espaço salarial para quem quiser arriscar aquisições como LeBron, Wade e Nowitzki, por exemplo.

É assim que o Quentin Richardson está mais rodado do que a Vivi Fernandes ou fita do "Lagoa Azul": vários times interessados em flexibilidade salarial em 2010 aceitam seu contrato gordo, mas trocam assim que surgir uma oportunidade melhor de economizar grana. O Wolves, por exemplo, trocou o Quentin Richardson pelo Mark Blount e, assim, conseguiu outro contrato que expira nessa temporada mas ainda economizou cerca de 2 milhões de verdinhas ainda nesse ano, porque o contrato do Blount é menor.

Isso significa que o Heat escolheu perder dinheiro para adquirir o Quentin Richardson! O espaço salarial de 2010 não foi comprometido, mas os bolsos dessa temporada acabam de ficar um pouco mais vazios para que o Heat tenha no elenco o cara que ninguém quer, aquele beijinho no meio dos brigadeiros gostosos em festa de criança (coco, como todos nós sabemos, não tem acento mas não engana: é escroto). Por que diabos o Heat se importou o bastante para fazer essa troca? A resposta acaba dedando a crise pela qual passa a equipe.

Pra começar, o elenco está tão fraco que o Quentin Richardson chega ao time com espaço garantido na rotação. O melhor arremessador daquelas bandas é o Daequan Cook, muito inconsistente e, convenhamos, longe de ser um arremessador legítimo. Diawara e Dorell Wright são bons defensores mas excessivamente limitados no ataque. Não há ninguém para substituir Shawn Marion e Jamario Moon, ninguém capaz de ser o ala titular. Se o Michael Beasley sair do garrafão e for jogar de ala pequeno, aí o Udonis Haslem é que não tem reservas. Ou seja, o elenco é um cobertor curto demais e ninguém, além do Wade, merecia ser titular. Num time sério (onde o Jamaal Magloire, clone ruim do Zach Randolph, não fosse considerado um jogador importante, por exemplo) a maioria dos membros do Heat esquentariam banco e teriam que lutar por minutos. No Heat, vão começar jogando, de modo que a chegada do Quentin Richardson traz profundidade ao time. Por "profundidade", entenda algo como a Mari Alexandre dizendo que leu "O Segredo": uma merda, mas a gente até comemora o fato dela não ser analfabeta.

Só que o buraco é mais embaixo, já diria o Mr. Magoo. Dwyane Wade não deu escândalo e nem tacou travesseiros como a gracinha do Kobe Bryant na época em que o Lakers só tinha ele, mas o Wade deixou bem claro que o elenco fede e que não há condições de que ele reassine com um time tão fraco. Pat Riley, doutorado na arte da discussão de Jardim de Infância e responsável pelas finanças, bate o pé e diz que não faz sentido gastar dinheiro agora com o time se o Wade não der certeza de que vai reassinar o seu contrato. No maior esquema do "dilema Tostines", os dois lados tem razão e portanto o time continuará parado nesse paradoxo, um estranho vórtex espaço-temporal que pode transformar o Heat no novo Cippers.

Em 2010 muitos jogadores geniais verão o fim de seus contratos e o mercado estará cheio de possibilidades para equipes que querem começar do zero. Se o Heat perder Wade, terá dinheiro para contratar jogadores de nível similar - caso, é claro, eles topem jogar em Miami. Com as estrelas contratadas, é possível comprometer-se com um plano de longo prazo e cercá-las com os jogadores mais apropriados, torrando uma grana louca neles. Agora, sem saber se Wade fica ou não fica, é complicado contratar ou trocar por jogadores porque o Pat Riley fica sem saber se está construindo um time ao redor do Wade ou do Carlos Boozer, por exemplo. Eu sei que o Clippers apenas soma jogadores aleatórios e coloca todo mundo pra rodar, mas no mundo real as contratações tentam ter um padrão e formar um todo coerente, de modo que o Wade precisa de uma decisão para que o Heat possa se preparar.

Mas o Wade seria débil mental de continuar num time tão porcaria se ele pode aceitar, na temporada que vem, propostas interessantes de times que estarão em condições muito superiores de brigar por um título. O que aconteceu é que o Heat se afundou demais na merda e perdeu aquele ponto de equilíbrio ideal: ser um time ruim, que precisa de alguns jogadores para crescer, mas que não é ruim demais a ponto de parecer um caso perdido. É isso que o Knicks quer tanto parecer ser, um time atraente, com potencial, mas que é claramente ruim porque precisa de uma grande estrela. Esse tipo de situação é tentadora para grandes jogadores que querem ressuscitar um franquia sem ficar em último lugar da NBA por uns anos. O Heat ficou em condições tão deploráveis que não dá pra levar muito a sério a ideia de que, com um par de jogadores novos, a franquia voltasse ao topo.

O Knicks caminha firme rumo a essa imagem de "eu fedo mas nem tanto, sou uma merda mas tenho esperança", meio que a garota feia dos filmes adolescentes com coque no cabelo, óculos enormes, e que a gente sabe que no final do filme vai soltar o cabelão, piscar os olhos com lentes de contato e maquiagem de primeira e ser uma delícia absurda. O Heat virou a garota obesa do fundo da sala, que pode até disfarçar o cecê passando vinagre mas não vai emagrecer o necessário nos próximos anos. Insistir na garota obesa seria um ato de fé e amor, mas acho que Wade não se encontra nessa situação. Desde o começo ele não gostou muito do draft do Beasley, alegando que a escolha deveria ter sido trocada por um jogador experiente (como o Kobe, tão puto da vida quando a franquia escolheu o Bynum), e não parece ter muitas expectativas de que essa dupla dê certo.

Sob esse aspecto, a contratação de Quentin Richardson é uma tentativa desesperada com toques de novela mexicana: mais do que melhorar um pouco o elenco mequetrefe, Quentinho é um dos melhores amigos do Wade e os dois treinam juntos ao fim de toda temporada da NBA. Foi uma tentativa de agradar o Dwyane Wade pelas beiradas, pegando no lado emocional. Pat Riley já tinha avisado que o Heat não iria contratar mais ninguém nessa temporada, que o time estava fechado, mas agora ele abriu uma exceção para trazer um amigo pessoal do Wade para jogar e, quem sabe, ser até titular. É muito golpe baixo, tipo dar flores e poeminha quando sua garota quer terminar com você. É feio, muito feio. Mas dá certo, crianças, então façam à vontade.

A vontade do Wade é de claramente dar o fora. Sua temporada passada foi surreal, depois dele dedicar toda suas férias em treinamentos insanos, específicos e exagerados que lhe permitiram ser o melhor jogador da seleção americana apesar de estar voltando de contusão (é como o treinamento que o Arenas tentou depois da primeira contusão, mas aí o joelho dele desmontou quenem Lego). Diz a lenda que o Wade está se dedicando num volume ainda maior de treinamentos, e se for verdade seus números de MVP vão estar ainda mais elevados. O problema é que ninguém falou das estatísticas débeis mentais do Wade na temporada passada, e nem levou a sério sua campanha para ser MVP, simplesmente porque seu time fede. É bem óbvio que o Wade não vai aturar isso mais uma vez: o Heat tem uma temporada, com o amiguinho Quentinho ajudando, para provar que pode ser ruim-mas-nem-tanto e colocar o Wade como concorrente real ao prêmio de MVP. Se não acontecer, o Heat provavelmente terá nova cara na temporada que vem - com uma nova estrela, se alguém aceitar jogar por lá. Talvez contratando mais amiguinhos dos jogadores famosos. Ou talvez as praias ajudem.

12 comentários:

Fernando Araujo disse...

bom, como estou concorrendo ao premio de leitor mais fiel durante a offseason, to aki comentando denovo,rsrsr.

Miami é ruim gente, muito ruim. mas tem bons jogadores. agradeço a deus por n ter dado certo a troca do ano passado q envolvia o beasley e o udonis pelo odom.

mas, n q eu acredite nessa hipotese é claro, se vier o iverson ou o tinsley, o beasley evoluir seu jogo(o q deve ser provavel) e o mais importante e tb mais impossivel de todos, jermaine oneal reencontrar um pouco do seu jogo incrivel dos tempos de indiana. teremos um time interessante.

uma defesa com tinsley, wade, udonis e oneal é bem interessante.

lembre-se q foi com tinsley q oneal jogou o q pra mim foi o melhor da sua carreira.

wade vai ser fantastico, mas acho q para esse time ter sucesso a base vai ser jermaine. adoraria ve-lo jogar bem denovo. porem pra mim é impossivel.

ps: editem o post e falem dele, um jogador dese calibre n pode ser esquecido nunca.

abraços. continuem assim pessoal.

Willian disse...

O Knicks precisa chegar aos playoffs em 2009-2010 para atrair Lebron ou Wade. Senão vai ter que esperar mais um ano para tentar atrair outra estrela. Sessions-Chandler-Gallinari-Harrington-Milicic dá pra chegar aos playoffs jogando mais EM EQUIPE(Leia-se SEM NATE ROBINSON e AL HARRINGTON olhando para o GALLINARI na linha dos 3) o que não aconteceu em 2008-2009. Abraços

thales disse...

Amigo, o Wade nao vai ficar... o Miami é ruim e nao consegue melhorar dsd dakela eliminaçao pro Bulls.

Wade deve estar cansado de brincar de superman por lá, até pq ele já provou o gosto da vitória e deve ser deprimente nao conseguir ser competitivo o suficiente

Moacyr disse...

Uma errata, que eu já comentei nessa caixinha em outros posts, mas parece que não leram =/

O Nash não teve influencia nennhuma no contrato do Quentin Richardson, esse contrato foi assinado antes da temporada 2004/05, aliás ele foi assinado junto com o contrato do Nash, quando o Qeuntin foi para phoenix via FA e os Clippers não cobriram.

Um ano depois(após a temporada com o Nash) ele foi trocado para os Knicks em troca do Kurt Thomas, mas ele esta até hoje nesse contrato antigo.

Danilo disse...

Moacyr, desculpa, eu tinha lido essa errata na primeira vez mas eu sempre me esqueço... vou prestar mais atenção da próxima vez, valeu. Pode puxar nossa orelha que uma hora a gente aprende.
Abraços!

tchakabum disse...

jamario moon ta no cavs, amigao

Danilo disse...

Leia de novo: "substituir Shawn Marion e Jamario Moon", porque os dois não estão mais no Heat. Entendidos?

David disse...

Saudações floridenses!
Não costumo comentar muito pela rede, mas quando meu pai me contou que havia um post sobre um possível desmonte (entenda-se Wade saindo) do heat, fiquei bastante curioso. Nós dois acompanhamos a liga diariamente ha mais de uma decada, e ele, torcedor no knicks, nao perderia a chance de me sacanear..
Eis que estou aqui a defender meu time.
Sim, o heat fede. Mas desde a chegada de Riley e os times aguerridos do final dos 90, e os milhares de tocos de Zo, que nao somos mais qualquer franquia. Foram varios titulos de divisão, duras series de playoffs, draft de wade, banner de campeao e trofeu da liga na estante. Por isso nao achei justa a comparação com o clippers. (continua)

David disse...

Com relação ao entrave wade x riley, a coisa nao é bem assim. Logicamente, um jogador que ja foi MVP de finais, que faz uma temporada aberrante como fez wade, vai demandar plantel. Ser cestinha é bom, mas apanhar na primeira rodada do mata-mata ninguem gosta. Naturalmente, vai explicitar inconformação e dizer que vai optar por avaliar as propostas de mercado no ano seguinte. É justo. É simplesmente usufruir do que preve o contrato e é o que estao fazendo lebron e bosh, que tem contratos maximos com a mesma estrutura. Alem disso, bota fogo na historia e apreensao nos dirigentes e torcida, pra ver se sai alguma coisa.
Pro cavs saiu shaq, pro tor turkoglu. Pro heat num saiu nada, porque quentinho nunca foi muita coisa (saudade do lamar).
Ja riley fala que vai aguardar 2010. Mas é claro. JOneal off the books, quentinho, wright, ate haslem, todos com contratos mais gordos. Ou seja, depois do Nets, o heat sera o time com maior cap space pra contratar no ano q vem (inclusive mais q o knicks), podendo contratar um superstar e outro jogador muito bom, alem de manter Wade. (continua)

David disse...

Entao como se resolve esse impasse? Com muito poeminha, flores, ligações para odom, e a palavra de um grande dirigente e lenda viva, que ja trouxe um shaq de 20ppg e outras peças pra o mesmo wade ser campeao, que ainda é respeitado e consegue chamar a atenção de varios jogadores da liga.
E quem nao nao gostaria de morar em miami e jogar pelo titulo ao lado de wade, caso ele fique?
Bom, eu como torcedor ja fico mais tranquilo depois dos ultimos comentarios do craque, nesse fim de semana. disse coisa como:"Next year will be a big year for myself and for the team, but the plan has always been to stay with the Heat, and that's still the plan," Wade said. "I think everything will work out."
E essa entrevista foi pro NY Times, pra acabar com o oba-oba do knicks!!
Vale ressaltar, ainda, que se DW renovar com o Heat, ganha 30 milhoes a mais, pois os contratos na liga sempre privilegiam the home teams. (o mesmo para lebron e bosh)
Wade: "I want to be one of those players that stays with one franchise for his entire career,"
Que assim seja...

David disse...

Bom e pra esse ano?
Primeiro, o heat está fedendo. Mas nao é tao ruim assim, como dizem. É triste, realmente, torcer pra um time que depende da raça de magloire, dos arremeços incostantes de cook ou da saúde de JOneal. E onde quentinho é upgrade (quentinho who?!).
Mas vamos olhar pelo lado positivo (ou será pela ótica do torcedor?). O heat pode, sim ser melhor que o ano passado, embora isso nao queira dizer que seria melhor na classificação. Acreditar no futuro de jovens jogadores é uma prática muito comum na liga, as vezes determinando planejamentos. Mas tb pode ser muito arriscado. O heat e o jovem tecnico spoelstra, acredita muito no crescimento de beasley e chalmers, especialmente, alem de cook e wright (esse vai ter a ultima segunda chance da vida).
Porque nao acreditar nisso? Beasley talvez nunca seja o que rose vai ser, mas pode ser algo proximo de um A jamison, ou ate melhor.
Chalmers, que nao foi citado no post, foi uma agradavel surpresa, fazendo uma temporada completa como titular, e embora bastante irregular, tem muito, muito potencial, tanto que fez muitos times se arrependerem de nao te-lo draftado (entrou na segunda rodada em 34º). Tem o tiro de 3, sabe infiltrar e é bom marcador. De modo que pat disse que nao trara ninguem (AI,tinsley...) pra jogar na frente dele como titular (se vier é banco).
Cook ganhou o campeonato de 3 pts esse ano, e se mostrar que pode ser mais consistente e contribuir noutras areas, tem algum futuro.
Wright nem é tao bom na defesa como foi postado, sendo sua vantagem a estatura (6-9)e envergadura, podendo jogar em mais de uma posição. Pode ser alguem, mas o problema é que o garoto fica so na promessa e nao sai disso...
Alem disso, é o ultimo ano de contrato de Oneal e haslem, e o primeiro esteve treinando a parte fisica com Tim Glover em chicago, o mesmo que cuidou de wade ano passado.
vale lembrar tb do nosso tecnico juvenil eriquinho spoelstra, que mostrou que tem futuro, e do nosso MELHOR atirador de 3, James Jones, com contrato por mais 2 anos, que nao contribuiu tanto na ultima temporada por conta de contusao, mas deve ganhar a vaga de titular pra q richardson.
Bom, como todo mundo sabe, um time onde quentinho é upgrade nao pode ser grande coisa. Mas qq um queria um jogador que fez 11ppg ano passado em lugar de um Blount que era 4ª opção no pivo. Foi algo como contratar um atirador de 3 rodado por 2 milhoes, que pode jogar na 3 ou na 2.
A dura realidade é que varios times vem se fortalecendo, ficando meio dificil manter a quinta posicao (tor, was...). Ao mesmo tempo nao acho que times como bobcats ou knicks fedam menos que o heat, ou que a franquia ensolarada esteja perto de um breakdown. Da pra brigar por uma 8ª ou 7ª vaga, jogar MAIS um playoff e montar novamente uma franquia vencedora em pouco tempo.
Os precedentes ja foram abertos ha muito tempo, inclusive com exemplos recentes como o BOS 07-08, NETS 01-02 e 02-03, e HEAT 05-06.
Um abraço a todos que mantem e leem o Bola Presa! E peguem leve com o meu heat nas respostas!

Fernando Araujo disse...

Cara, até entendo seu lado, mas continuo minha opiniao, vcs n tem jogo de garrafao. por isso q eu falei q vcs podem precisar do oneal, mas do joneal soneal seria perfeito demais mas vcs mandaram embora.

eu se fosse o pat riley n ia pensar duas vezes e ia fazer igual ao cavs, mostrar q esta tentaodo dar um bom time para sua estrela. mas parece q eles tem medo demais ate pra isso. acho q vc vai sofrer bastante ainda, rrsrsr.