quinta-feira, 17 de julho de 2008

O que acontece em Las Vegas...

Bayless: bom, bonito e até que é limpinho


O ditado diz que o que acontece em Las Vegas fica em Las Vegas. Mas será que vale para a Summer League de Las Vegas também?

Muita gente que está jogando bem demais espera que não, espera que o que está acontecendo lá aconteça por mais pelo menos 82 jogos a partir de novembro, mas tem muita gente que prefere o ditado, prefere que o aconteça lá fique lá e nem é porque eles acabaram casando por engano com um homem em Las Vegas, é pelo fiasco mesmo.

Um time que tá bem na fita e que os torcedores devem estar extasiados é o Philadelphia 76ers. Primeiro porque só sobrou o Grizzlies com espaço no teto salarial então o Iguodala, até por falta de opção, deve ficar no Sixers mesmo. Segundo porque eles contrataram o Elton Brand sem ter que perder nada por isso. Terceiro porque eles tem o trio mais devastador das Summer Leagues: Thaddeus Young, Jason Smith e Marreese Speights. Para se ter uma idéia, os três juntos marcaram 48 pontos na vitória de ontem sobre o Lakers.

O Thaddeus Young todo mundo já sabia que era bom, ele acabou a temporada passada com grandes atuações e fez bom playoff contra o Pistons também. A liga de verão está servindo apenas para comprovar o talento do garoto, mesmo antes da boa atuação de ontem ele já tinha tido jogos de 27 e 22 pontos.

Jason Smith e Speights ainda pecam um pouco pelo excesso de faltas, mas como em Summer League não tem limite de faltas, é pra bater mesmo, fazer o quê? Speights em especial tem sido impressionante, dominando fisicamente os jogos em alguns momentos e tem tudo pra ser um bom reserva para Brand nos próximos anos.

Outro jovem rapaz que está jogando muito bem nesta Summer League é OJ Mayo. Depois que Derrick Rose e Micheal Besley se pegaram na Summer League de Orlando, sobrou para Mayo ser a estrela do torneio de Las Vegas e, embora não tenha sido a maior estrela do torneio, não tem feito feio. Além dessa enterrada demente em cima do Hilton Armstrong, ele tem tido sólidas atuações ofensivas, com média de pouco menos de 20 pontos por jogo e muita agressividade.

Mas será que o Memphis vai se arrepender da sua troca de Kevin Love por OJ Mayo? Porque o Sr. Amor não foi nem um pouco carinhoso nos seus dois primeiros jogos de Summer League, dominou o garrafão como um veterano. Foram 18 pontos nos dois jogos, um complementado por 13 rebotes e o outro com 17 rebotes e 2 tocos. Nada mal para um branco!

Mas mesmo se o Grizzlies se arrepender, não é como se eles tivessem ficado sem nada na posição de ala de força. Naquela salada de trocas do fim do primeiro round, eles pegaram o Darrell Arthur, que depois de um jogo patético com 3 pontos e 9 faltas se reergueu e marcou 18 pontos contra o Hornets e 23 contra o Spurs. E nunca é ruim ter cara que gosta de bater no Spurs, só pela diversão.

Mas ainda no Grizzlies (incrível como quando a temporada não vale nada, a gente não pára de falar no Clippers e no Grizzlies), tem um cara que quer que o que aconteça em Las Vegas fique só por lá para sempre. Trata-se da quarta escolha do draft do ano passado e maior candidato a fracasso do último draft: Mike Conley.

Não que ele esteja com números patéticos, ele não é ruim, só que parece que nunca vai ser o grande armador que muita gente achou que ele seria. Em três jogos, está com média de 11 pontos e 3 assistências. Na NBA de verdade, esses números já seriam ruins para quem quer liderar um time como titular, e em uma Summer League, contra adversários fracos, são piores ainda. O Greg Oden não deve mais ser amigo dele, certeza.

A gente é bem tolo, algumas pessoas até acham que somos tolos o bastante para achar que no Brasil se fala brasileiro ao invés de portugês, mas não somos tão idiotas para achar que as atuações dos jogadores do Warriors nas Summer Leagues vão fazer alguma diferença na rotação do time. O Don Nelson é maluco, ele odeia novatos e deve estar de férias no Caribe, nem ligando para os campeonatinhos de verão, então de que adianta o CJ Watson estar fazendo campanha digna para garantir uma vaga como armador reserva do time, ou de que vale o Belinelli e sua média de 23 pontos, ou ainda os 14,3 pontos do Brendan Wright? Nada. A única chance deles pisarem em quadra é se o Don Nelson tiver a grande idéia de colocar o Belinelli de pivô ou o Brendan Wright de mascote.

O legal de ver jogo de Summer League é que muitos times usam o mesmo sistema de jogo de seus times principais. Então o Suns corre, puxa contra-ataque, o Sixers enfia bola no garrafão como se o Speights fosse o Brand, o Warriors usa o Anthony Randolph de pivô e não pensam, essas coisas. Mas ninguém deixou isso mais claro do que o Wizards, e ainda fizeram parecer que é brincadeira de criança.

Em entrevista, o Nick Young disse que é bem simples, "Eu sou o Gilbert Arenas, o Andray Blatche é o Jamison e o Dominic McGuire é o Butler.". Isso não lembra você mesmo dizendo "Eu sou o Pégasus, você é o Dragão e ele é a bichinha do Andrômeda"? Muito coisa de pirralho, mas parece que é bom para os garotos se acostumarem com o (ou a falta de) sistema tático do Wizards. Falta só o Nick Young estourar o joelho e o McGuire conseguir fazer mais de 10 pontos em um jogo.

Ainda vamos falar mais da Summer League de Las Vegas, tem muita gente se destacando e nem falei muito dos caras que estão fedendo. Vou dar mais uma chance para vocês, Nicolas Batum, Marquinhos, Corey Brewer... mas vou terminar esse texto falando de quem, pra mim, é a grande estrela desse torneio até agora: Jerryd Bayless.

Eu sei que o Donte Greene do Houston fez 40 pontos, mas foi contra a defesa do Suns que estava imitando a defesa de verdade do Suns, além disso vou dar para o Danilo o prazer de falar do Greene e do Mike Harris, que jogaram muito pelo Houston. Eu vou me dar o prazer de afirmar pela trocentésima milionésima ducentésima vez que o Portland chuta o traseiro fedido de todo mundo ano após ano no draft. Esse rapaz chamado Jerryd Bayless é simplesmente espetacular. Ele tem um drible magnífico e bate pra dentro quando dá na telha e está com média de 27 pontos e de mais de 15 lances livres batidos por jogo. Ninguém consegue parar ele sem bater no garoto. Ainda não parece que ele pode jogar na posição de armador principal, mas ele pode ser facilmente segundo armador com o Brandon Roy armando ao lado dele ou, como eu gostaria mais, ele pode vir do banco para substituir tanto o Steve Blake quanto o Brandon Roy. Ele é aquele típico jogador que vem do banco para infernizar a vida do outro time e virar uns jogos difíceis.

Amanhã o assunto volta a ser a seleção brazuca e depois voltamos com mais Summer League, jogadores mudando de time e essa palhaçada toda que você já está acostumado. Mas até lá, para vocês se distraírem, fiz um Top 10 com os nomes mais legais (não necessariamente Força Nominal) da Summer League que você nunca vai ver numa quadra da NBA.


Top 10 - Nomes mais legais que você nunca vai ver na NBA

10- Jonte Flowers (Pistons) - Nunca que alguém chamado "Flores" vai jogar no Pistons.
9- Michael Peeples (Wizards) - Peeples é apelido carinhoso pra namorada.
8- Vytas Danelius (Wizards) - Danelius é Danilo em Latim?
7- Callistus Eziukwu (76ers) - Latim que cruzou com algum africano que não fala brasileiro.
6- Dontey Draper (Wizards) - Tem nome de super-herói.
5- Pooh Jeter (Woves) - Nome de jogador de baseball.
4- JaJuan Smith (Mavs) - JaJuan? Sério?
3- Hector Romero (Grizzlies) - Esse já pegou a Thalia e tem bigode.
2- Nik Carner-Medley (Lakers) - Que legal seria dizer "O Medley é um jogador completo"...
1- Lorenzo Mata-Real (Lakers) - O Lakers deveria contratar ele hoje mesmo e me dar uma camiseta número 666 escrito "Mata-Real" nas costas.

3 comentários:

leleo¹ disse...

Eu quero uma camisa do Lakers, do Mata-Real também... Numero 666!

Eu quero acreditar que o Portland será a grande evolução dessa temporada... É serio!

Tem um otimo time, Com Roy, Bayless, Oden...

Sbub disse...

Excelente top ten. JaJuan...

Renzo disse...

Caraca, vcs são muito doentes...
Estão vendo Summer League todo dia??
hahahah