quinta-feira, 31 de julho de 2008

Encontro de dois mundos

Há, quero ver segurar o Houston!


Quem acompanha o Bola Presa há um tempinho sabe que eu sempre defendi o Ron Artest por aqui. Naquela vez em que ele mandou beijinhos para a torcida do Pistons e naquela vez em que ele se empolgou contra o Matt Harpring e ficou batendo no próprio peito, aproveitei para lembrar que Artest é um raro sopro de paixão em um esporte que fica cada vez mais mecanizado. Trata-se de um jogador que se diverte, que se empolga, que se expressa e que se complica. Verdade seja dita, Ron Artest é um jogador mais fácil de se admirar quando ele não está no seu time.

Ser autêntico sempre traz inconvenientes. Ao invés da violência camuflada e disfarçada que domina os esportes profissionais atualmente, Artest é uma força violenta autêntica que vai dar um soco sincero e direto ao se sentir desrespeitado. Nada de cotoveladas quando o árbitro não está vendo ou pés embaixo dos jogadores adversários depois do arremesso, levando a torções. Artest vai empurrar, xingar e tomar uma falta técnica. Suas atitudes criam esteriótipos que, por sua vez, criam padronizações no modo de lidar com eles. As reações a Ron Artest por parte da torcida e dos juízes não são naturais, são pré-programadas. Hoje em dia é difícil olhar para ele e não pensar em "problema".

Ao saber que Ron Artest seria trocado para o Houston Rockets, Yao Ming teve uma longa conversa com Luis Scola em que demonstrou preocupações com as atitudes de Artest e com os problemas que isso poderia trazer à química da equipe. A reação de Yao é mais do que natural. Ele é um chinês bonzinho, vindo de uma cultura em que não se deve expressar emoções em quadra, em que não se confunde emoções pessoais com o ambiente de trabalho, e em que dar uma simples enterrada num jogo de basquete é um desrespeito aos adversários, seus iguais. O tempo fez de Yao Ming um elo entre duas culturas, ele enterra constantemente nos jogos, grita, xinga e briga com seus companheiros, algo impensável dentro da ancestral cultura chinesa, mas ainda é considerado "molenga" nos Estados Unidos. Apesar disso, Yao provavelmente já deve comprar Playboys, assistir "Lost" e estar por dentro do último escândalo alcoólico de Lindsey Lohan. Ele está transformando o modo de vida na China de um modo maior do que qualquer pensador ou político poderia sonhar, unindo duas culturas e moldando novas formas de agir. Do ponto de vista chinês, ele é inovador, libertário. Mas é claro que ainda não está pronto para Ron Artest. Compreender os tipos de emoções que borbulham dentro de um jogador que arrancou à força da vida sua saída de um subúrbio miserável vai muito além de comer um Big Mac.

Yao Ming ainda tem muito a aprender em seu mergulho cultural para dentro da América. Sua próxima lição será, graças às ironias da vida, vinda do professor Ron Artest. O encontro entre o chinês e o "bad boy" é o choque de duas abordagens muito distintas - tanto de vida quanto de basquete. O que um pode ter a aprender com o outro, aliás, vai muito além das quadras. O basquete é apenas uma metáfora, uma pequena janela, por onde podemos compreender coisas muito mais complexas sobre o ato de viver. O modo como Yao e Artest lidam com suas emoções em quadra é o reflexo de suas realidades fora dela, e nos dois âmbitos podemos ver, com o passar dos anos, como os dois estão, muito lentamente, andando na direção um do outro. Artest, mais centrado; Yao, mais expansivo.

Eu quero mais é que se exploda o medo dos fãs do Houston com as faltas técnicas, as expulsões e o problema de química que Artest pode trazer à equipe. Yao e o resto do elenco encontraram Ron Ron num momento perfeito para a união. Os torcedores do Rockets - incluindo eu mesmo - sabem que falta ao time a intensidade e a individualidade necessárias para vencer quando realmente interessa. Já os fãs de Artest sabem que falta a ele um técnico que o defenda, que o abrace, que o aceite - além de um elenco que não o permita perder-se em si mesmo. Todas as partes envolvidas perceberam isso.

"É isso que estive esperando durante meus 11 anos de carreira, um time realmente evoluir e colocar em quadra o talento que julgo necessário para competir com os melhores", disse T-Mac.

"Serei uma criança numa loja de doces", disse Artest.

Para os temerosos, a chave é Rick Adelman, um técnico que compreende Ron e sabe apoiá-lo e incentivá-lo. O que Artest havia pedido durante sua estadia no Kings era comprometimento e lealdade, um time que o aceitasse e lhe estendesse a mão, permitindo que ele competisse no esporte que ama. É isso que o Houston de Rick Adelman pode dar a ele. Isso além de duas estrelas para que, juntos, formem o mais novo trio apelativo da NBA. Falando sobre o trio do Celtics, Artest acrescentou: "para competir no mesmo nível que eles por um campeonato, é necessário um trio e alguns bons jogadores de apoio. Eu acho que com McGrady, Yao e Artest... vou deixar quem quiser fazer a conta".

Ele tem toda razão. Depois de inúmeras temporadas achando que seu papel no planeta Terra é provar seu valor carregando um time nas costas e saindo um bocado do controle no final dos jogos, Artest agora parece disposto a ser parte de um trio de estrelas e colocar seu nome na história junto com os grandes campeões. Ele fará parte de um elenco profundo o bastante para fazer inveja a qualquer um da NBA. Vamos dar uma olhada:

Na armação, teremos Rafer Alston, o armador mais inconstante que o planeta já viu. Como reserva, o ex-calouro e pontuador nato Aaron Brooks, além do recém-contratado Brent Barry, que era sensacional armando o jogo nos seus tempos de Sonics. Na outra vaga de armador, Tracy McGrady chutará uns traseiros tendo como reserva Luther Head, competente mas descalibrado, além de novamente Brent Barry, especialista nas bolas de 3 pontos - algo que faltou para o Houston durante anos. Nas alas, o negócio me faz salivar: Ron Artest deve ser titular ao lado de Luis Scola, com o excelente defensor Shane Battier na reserva, além do ex-novato sensação Carl Landry e do defensor tampinha Chuck Hayes. Mas Artest é forte o suficiente para marcar alas maiores com uma mão nas costas e um pé na orelha, o que permite colocá-lo em quadra junto com Battier, resultando no mais assustador combo defensivo de toda a Liga. Como pivôs, Yao Ming será titular até quebrar a perna de novo, quando devem assumir Mutombo, Landry novamente, ou o novato Joey Dorsey, que come ônibus no café da manhã, teve uma boa Summer League e está sendo até cotado pra ir jogar na NFL. Monstro.

Três estrelas? Consta. Bom técnico? Consta. Sólido elenco de apoio? Consta. O Houston pode ter perdido na troca o novato Donte Greene, que chutou traseiros durante as Summer Leagues esse ano, além de uma escolha de draft de primeira rodada do ano que vem e do contrato expirante de Bobby Jackson. Mas quem se importa? Com as peças listadas acima, o time pode ser campeão a qualquer momento, basta apenas começar essa budega conhecida como temporada regular.

Para o Kings, trata-se de duas escolhas de primeira rodada (Donta Green e a futura escolha do ano que vem) além de espaço na folha salarial. Não quiseram se comprometer com Artest, não foram capazes de aceitá-lo, e agora é a hora de começar de novo, reconstruindo a equipe. Compreendo seus motivos, tenho certeza de que às vezes não deve ser fácil ver sua franquia nas mãos de Ron Artest. Mas sei também que, assim como Yao Ming, todos nós - torcedores do Houston - vamos adentrar um pouco no mundo do "Ron Ron", compreensivos. Assim que esse estranho casamento cultural se concretizar, muito provavelmente teremos um belo anel de campeão nas mãos. E toda uma geração de chineses estará diante de um novo e complexo paradigma: não há problema em demonstrar suas emoções às vezes. Mesmo que, de vez em quando, seja nos moldes Artestianos: "um pouquinho demais".

quarta-feira, 30 de julho de 2008

Deixa o homem trabalhar

Ben Gordon podia tá roubando, podia tá matando, mas tá só pedindo um contrato novo


Promessa não é dívida, promessa é só um jeito de tirar os malas que estão te cobrando do seu pé, mas de qualquer forma, aqui estou eu, como prometido, para falar sobre mais Free Agents que estão aí dando sopa ainda sem time.

Chegou a vez de falarmos sobre os Shooting Guards, os jogadores da posição 2, que assim como os armadores principais, de quem falei ontem, estão à solta atrás de um contrato. Essa semana o Kareen Rush arrumou vaga de novo Kyle Korver no Sixers, enquanto o Maurice Evans será o novo Josh Childress no Hawks, mas além deles ainda tinha muita gente em busca de emprego. Mais ou menos como aquele seu tio, só que com a diferença de que o Ben Gordon não diz que vai em busca de emprego só pra ir no bar.

Falando em Ben Gordon, podemos começar pelo grupo mais interessante dos Shooting Guards disponíveis, o grupo do "Porra, como esse cara tá sem time? Ele é mó bom no videogame!". Esse time começa com o Ben Gordon e se extende para JR Smith, Devin Brown, Flip Murray e Bonzi Wells.

O Ben Gordon está sem emprego porque ele quer. Ano passado ele recusou uma bela proposta do Bulls porque ele achava que nesse ano receberia propostas melhores, mas ele enxergou mal o mercado e não tem time nenhum com espaço no salário para bancar o que ele quer. É possível que ele continue no Bulls por um salário menor ou, o que é menos provável, assine um contrato de pouca duração com algum outro time, para jogar bem de novo em quartos períodos e mostrar que merece um contrato gordinho.

Com JR Smith, Devin Brown, Flip Murray e Bonzi Wells, o problema é um pouco diferente. Também tem o caso de poucos times terem espaço para oferecer um bom contrato e os jogadores só vão assinar um contrato baixo quando perceberem que não tem outro jeito mesmo, mas além disso os três não são conhecidos por serem bons companheiros de time e que fazem uma equipe melhor, todos tem talento mas são conhecidos como indisciplinados dentro ou fora da quadra. De qualquer forma o talento fala mais alto, secretamente tem muito time por aí juntando coragem pra fazer uma boa proposta para o JR Smith. Em um mundo em que o Chris Duhon e o Kwame Brown ganham contratos milionários, por que o JR iria ficar de fora?

Outro cara de talento, mas que não provou esse talento como o JR Smith, é o Kirk Snyder. Por influência do Danilo eu assisto e acompanho bastante o Houston e já vi ele fazer boas partidas pelo time do Yao Ming, mas por falta de espaço ele nunca se destacou muito e por fim acabou no Timberwolves, ou seja, ninguém nunca mais assistiu a um jogo dele. O cara tem um bom físico, sabe fazer seus pontos e um time que precise de um cara que venha do banco para fazer pontos, trombar com uns caras e pegar uns rebotes poderia gostar dele, seria bacana o Snyder como reserva do Ron Artest no Kings, por exemplo. Mas para isso as pessoas teriam que lembrar que o Snyder existe, o que é mais difícil de acontecer.

Como tinha dito no post de antes, ia falar dos caras híbridos, aqueles que a gente não sabe bem se jogam na posição 1 ou 2. Na dúvida, eu deixei o Delonte West no texto dos armadores principais e o Louis Williams e o Juan Dixon para hoje, assim como deixo o Andre Iguodala para os da posição 3.

Eu sou fã demais do Louis Williams e acho que ele só precisa de espaço e tempo na quadra pra mostrar o quanto é bom. No Sixers, sendo reserva do Andre Miller e às vezes até jogando junto com ele, o rapaz é bom demais e teve grandes jogos nessa temporada. Com o Sixers prestes a ter um time forte com Elton Brand, eu estou torcendo para que o Louis Williams fique por lá, o problema é que as recentes aquisições de Kareen Rush e do nosso querido desconhecido Royal Ivey indicam que o Sixers está se preparando para caso o perca. Caso ele não volte à Philadelphia, quem está interessado em seus serviços é o Cleveland Cavaliers, especialista em armadores que não são tão armadores assim. Eu acho uma boa para o Cavs, o LeBron vai se sentir na seleção americana ao ver que no seu time tem alguém que não precisa de um passe dele para fazer seus pontos, revolucionário.

O Juan Dixon ficou famoso por ser parceirão do Steve Blake. Não no sentido Brokeback Mountain da coisa, mas é que os dois jogaram juntos na Universidade de Maryland, depois jogaram juntos no Washington Wizards e quando viraram Free Agents os dois foram para o Portland Trail Blazers. Aposto que um nunca fez um rap tirando sarro do outro. O Steve Blake ainda está em Portland e não tem espaço lá para o Juan Dixon, então um reencontro não é provável, mas seria triste o Juan Dixon ficar sem lugar nenhum, o cara tem muito talento, sua carreira universitária foi espetacular e na NBA, quando teve chances, chegou a ter média de 12,3 pontos vindo do banco de reservas. Eu gostaria de ver ele no Charlotte Bobcats, contribuindo no banco, ajudando o novato DJ Augustin e Ray Felton.

Assim como o Juan Dixon, os Free Agents da posição 2 têm mais talentos escondidos por aí e os times deveriam ficar atentos. Quem precisa de um bom arremessador poderia ir atrás do vegetariano Salim Stoudamire, que disputou a temporada passada pelo Hawks e é amigão do Gilbert Arenas. Quem precisa de um especialista em defesa tem inúmeras opções, pode ir com a baranga do Mickael Gelebale, que fez uma boa segunda metade de temporada pelo falecido Sonics. Tem também o Yakhouba Diawara, que só não entra no Nuggets porque ele ousa defender, e tem ainda o Quinton Ross, que não é o Bruce Bowen mas teria feito melhor que o Daniel Ewing naquele famoso lance do Raja Bell. Em último caso, para os que acreditam que a vida começa aos 50, ainda tem o Eddie Jones, que era um ótimo defensor na época em que Spice Girls era a banda do momento.

Juntando o talento de arremessar do Salim Stoudamire e a idade do Eddie Jones, temos o Michael Finley, que também é Free Agent. Hoje em dia ele não passa de apenas um arremessador, mas eu já visualizo ele em um uniforme verde entrando nos playoffs só para meter umas bolinhas salvadoras. Se bem que eu, que acho o Morris Peterson um merda, acho que o Michael Finley deveria ir para New Orleans, aquele time cheira título cada vez mais.

Qualquer dia desses continuamos essa excitante série que mostra o drama dos atuais desempregados da NBA. Viramos praticamente um "Profissão Repórter", mas sem o gatinho do Caco Barcellos.

terça-feira, 29 de julho de 2008

Armadores à solta

O Arroyo é o que não está pintado de azul


A cada dia que passa você está mais perto de sua morte e alguns Free Agents mais perto de um novo time. Ontem foi a vez do Ricky Davis e do Kwame Brown arranjarem novas casas, mas ainda tem muita gente desempregada por aí, esperando algum time (dos EUA ou da Europa) abrir a carteira para dar uma graninha pra eles jogarem. Ainda tem gente muito boa, gente mais ou menos, gente ruim e jogador de todas as posições. Vamos dar uma olhada no resto, no aterro sanitário da NBA.

Que tal ser muito criativo e começar com a posição 1? Ou posição de armador, point guard, armador principal, sei lá como vocês querem chamar. O importante é que opções não faltam nessa posição. Falta qualidade até, mas não falta opção.

De todos os ainda disponíveis acho que o melhor de todos é o Jannero Pargo. Na temporada passada ele foi espetacular no Hornets e nos playoffs quase liderou o time a uma virada sobre o Spurs no jogo 7, só não virou porque deus não permitiu que o Jannero Pargo entrasse para a história do basquete, aí já era pedir demais. Pargo é um cara que vem do banco pra dar seu drible seco e matador e meter umas bolas importantes, qualquer time na NBA precisa de um cara assim na reserva e ele deve achar emprego em breve. Eu gostaria de ver ele de volta no Hornets, o Chris Paul merece algum descanso e o Pargo já provou que lá ele se dá muito bem.

No segundo escalão dos armadores ainda livres para negociar estão os que já jogaram muito bem um dia mas que hoje não são tão bons assim, são os caras candidatos a ganhar um contrato de um ano em algum time qualquer. São eles Jason Williams, Sam Cassell, Damon Stoudamire e Carlos Arroyo. Todos eles já mostraram em algum momento da carreira que são bons, uma pena que nesse tal momento não só a Dercy como até o Ayrton Senna eram vivos. Todos ainda tem alguma bala na agulha, mas não para serem titulares. Vejo o Celtics ficando com o Cassell ou assinando algum deles, já vi boatos dizendo que eles querem o Jason William. Além deles, o Suns pode ir atrás, pela milésima vez, de um reserva para o Nash e o Spurs precisa de um reserva para o Tony Parker, já que o próprio Damon Stoudamire não deu certo e o Jacque Vaughn não fez mais do que entrar em quadra pra bater no Shaq. Ainda tem o Orlando, que é um time forte, candidato a titulo do Leste e o cara que for jogar lá pode ter certeza de que vai entrar muito em quadra, já que o Jameer Nelson está longe de ser um titular confiável.

A verdade é que embora os caras ainda tenham algum talento de sobra, eles tem a tendência de só irem atrás de times com chance de ir longe nos playoffs. Os jogadores estão com uma mania de achar que só porque estão velhos eles tem o direito de ficar escolhendo muito onde jogam, quando na verdade seria muito mais legal se eles tentassem dar uma reviravolta na carreira ajudando um time mais fraco a melhorar seu nível. Garanto que o Jason Williams, se saudável, teria um impacto bem maior no Knicks do que Mardy Collins e o Chris Duhon, por exemplo.

Depois do melhor de todos os disponíveis e dos veteranos-desesperados-atrás-de-um-time-que-lute-por-títulos, tem aqueles que também são bonzinhos mas que não podem se dar ao luxo de escolher time, esses vão onde oferecerem verdinhas. São eles Shaun Livingston, Dan Dickau e Earl Boykins. O Dickau e o Boykins já tiveram bons momentos na carreira mas a verdade é que só vão arranjar emprego se alguns dias antes de começar a temporada algum time ainda não tiver achado um reserva, mais provável é que os dois acabem na Europa. Dizem que um tem uma proposta na Rússia e outro na Espanha. Já o Shaun Livingston é um caso à parte, já que todo mundo sabe que ele é bom mas todo mundo viu que o joelho dele descolou da perna.
Se eu fosse manager de algum time eu chamava o garoto e falava "Te dou um contrato de um ano, se você provar que sua perna não é feita de Lego, fazemos um contrato decente depois", aí é só deixar o rapaz mostrar o que sabe.

Um caso que eu não tenho idéia de como vai acabar é o do Lindsey Hunter. O cara tem nome de mulher, tudo bem, mas ele foi importante no título do Pistons em 2004 e apesar da queda de produção ainda pode ajudar muito time, como ajudou o próprio Pistons no ano passado. Será que ele volta para o Pistons mesmo com a ascenção do Rodney Stuckey? Será que algum outro time apostaria nele? Se eu fosse o Spurs eu iria atrás do rapaz, e se eu fosse o rapaz eu ia pro Spurs e ia pedir que parassem de me chamar de "rapaz", que é ridículo.

Ainda tem o caso mais legal, que é o que todo mundo gosta, os caras ruins. Não dá pra deixar de mencionar que o Smush Parker é Free Agent e ainda não assinou com ninguém. Será que alguém tem coragem de levar o Smush? E se levar, leva por quanto? E leva pra ser reserva ou só pra compor elenco?
No começo eu gostava muito do Smush Parker, quando você não espera nada dele, o cara até surpreende, o problema é quando ele vira o titular de um time nos playoffs e nos playoffs os defeitos de todo jogador ficam expostos, não tem jeito. Acho que algum time como o Indiana Pacers, que precisa de armadores reservas, pode acabar apostando no Smush, mas a verdade é que a imagem dele está bem manchada depois do fracasso no Lakers e do fiasco da sua passagem no Miami. O mais provável é que qualquer time prefira apostar em um jovem armador que está disputando Summer League ao invés de apostar no Smush Parker. De agora em diante, ele vive apenas nos nossos corações e memórias. Se aposente em paz, não sentiremos saudade.

Você deve estar pensando "Ei, seu mané, você esqueceu do Delonte West!". Não, não esqueci. Mas deixei ele por último porque ele é um dilema. Todo mundo viu ele jogar mil vezes e ninguém sabe a posição do cara. Quando ele estava no Sonics, o técnico PJ Carlesimo chegou a dizer "Ele não é armador principal, não é segundo armador e nem é um armador-combo, ele é simplesmente um armador, vamos chamá-lo assim.". Aí no Cleveland ele jogou como armador principal, mas armador principal no Cavs é o cara que carrega a bola até o meio da quadra, toca pro LeBron e espera para arremessar na linha de 3, que é o que um segundo armador faz. Em resumo, eu não sabia se colocava o Delonte West aqui ou se colocava no próximo texto, quando falaremos dos jogadores da posição 2 que ainda estão sobrando. Por via das dúvidas eu coloco o West aqui mesmo e deixo o Juan Dixon e o Louis Williams, outros que sofrem de problema parecido, no texto de amanhã.

Depois de deixar claro qual é o problema do Delonte West, deixo claro também que o cara é talentoso. É um marcador decente, tem um bom arremesso e, para algumas culturas ocidentais, conseguir jogar em duas posições diferentes é um elogio. Acho que o próprio Cavs deveria ficar com ele, já que ele foi o melhor jogador que o Cavs conseguiu em trocas, melhor que o Wally Szczczzzzerbiak e o Ben Wallace. Mas acho que o Jason Williams e o Carlos Arroyo não caiam mal no Cleveland também, se isso acontecer o Delonte não precisa ficar desempregado. O Nuggets precisa de armadores, o Miami não se incomodaria em ter um armador que não seja um novato ou o Chris Quinn e o Los Angeles Clippers, o time do momento nessa offseason, tem no banco de reservas o Jason Hart, que tem "inexistente" escrito na testa. O West vira reserva do Baron Davis numa boa por lá.

Como deu pra ver, tem muito mais armador em busca de emprego do que vagas na NBA, não é à toa que tem gente vazando pra Europa. Mas é azar também dessa posição de armador principal, que está meio inflada na NBA, apareceu muita gente boa nos últimos anos e não tem espaço pra todo mundo. Veremos a situação das outras posições em breve.

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Contos do vigário

Kwame Brown ainda vai manter toda sua graciosidade em quadra por mais alguns anos


Como bom são paulino, sempre fiquei muito intrigado com o caso do Gustavo Nery. Nunca jogou porcaria nenhuma pelo São Paulo e, em geral, comprometia terrivelmente a equipe. Seus erros eram grosseiros, constantes e desestabilizavam o time. No entanto, muitas pessoas elogiavam seu jogo. Foi com grande estranheza (e alegria de me ver livre da praga) que recebi a notícia de que Gustavo Nery foi jogar na Alemanha, onde não foi bem recebido, e depois foi contratado pelo Corinthians. Levou apenas alguns dias para a torcida corinthiana perceber o que já era óbvio para qualquer são paulino: o Gustavo Nery fede. Saiu do time ameaçado de morte, levando pedrada de todo lado, mas mesmo assim conseguiu um contrato na espanha. Assim que perceberam por lá que ele fedia, voltou para o Corinthians, único time burro o suficiente para cair no conto do vigário duas vezes. Ao perceber a cagada, Gustavo Nery deu o fora de novo, indo jogar no Fluminense, em que obviamente não deu certo, e agora conseguindo um contrato com o Internacional. Até a mãe do sujeito sabe que ele é perna de pau, mas por algum motivo místico sempre tem algum time por aí acreditando nele. Sempre tem alguém que cai no conto do vigário.

O que isso tudo tem a ver com basquete? O fato de que lá na NBA também não faltam trouxas para acreditar em qualquer coisa. Basta uma boa edição de vídeo e até o gordo do Jerome James se torna um grande jogador, todo mundo sabe disso na era do YouTube, mas ainda tem um monte de gente que realmente acredita no que vê.

A notícia de hoje é que Kwame Brown recebeu uma oferta de 8 milhões de doletas por 2 anos no Pistons. O mesmo Kwame que jogava embaixo de vaias em Washington, que foi humilhado pela torcida de Los Angeles, e que foi afundado no banco de um Grizzlies completamente desprovido de jogadores. Foram três chances, dois contratos gordos, três fracassos retumbantes. E quando a gente finalmente estava pronto pra aceitar que seu futuro seria o mesmo de outra primeira escolha de draft fracassada, Michael Olowokandi (ou seja, a aposentadoria) eis que Kwame me aparece com mais um contrato milionário na manga. Qualquer semelhança com o Gustavo Nery, crianças, não é mera coincidência.

Não preciso sequer me esforçar para saber o que o Pistons está pensando. "Kwame é um jogador de muito potencial e acreditamos que possa evoluir muito e contribuir para nossa equipe." Assina o nome de qualquer dirigente do Detroit e pronto, eu deveria ser Relações Públicas na NBA. Eu nem vou entrar nos méritos do Kwame Brown de fato ter potencial, apesar da incapacidade de lidar com pressão e das mãos pequenas de donzela aflita. Eu só não consigo aceitar que, depois de tanto tempo, ainda queiram investir tão pesado no moço. Eu não quero viver em um mundo em que o Kwame ganha um contrato de 4 milhões e o Matt Barnes assina pelo mínimo, 900 mil mangos. Produção e dedicação parecem sempre vir atrás de potencial, o que uma hora acaba enchendo o saco. Ele pode até se dar bem no Pistons, tendo menos pressão de produzir atrás de grandes estrelas, mas ele pode quebrar em segundos frente à torcida de Detroit e à intensidade e tranquilidade que o Pistons mostra nos jogos. Mais uma vez Kwame é um jogador de risco que engordará seus bolsos (e sua pancinha).

Mas não pensem que cair numa enganação dessas é privilégio do Pistons. O time mais amaldiçoado da NBA, o Los Angeles Clippers, acaba de efetuar uma contratação polêmica: Ricky Davis agora faz parte da equipe. Até parece uma boa contratação, trata-se de um pontuador nato, um cara que venderia a própria mãe pela chance de fazer umas cestas, e que vai cobrir a falta de poder ofensivo surgida com a ida de Elton Brand para o Sixers. Além do mais, é uma figura experiente e permitirá ao calouro Eric Gordon não ter que assumir tanta responsabilidade, principalmente levando em conta que outro futuro titular, Al Thornton, estará apenas em seu segundo ano. "Um armador pontuador e experiente, é tudo que o Clippers precisava", você diz. Pois eu digo que essa foi a aquisição mais imbecil e desconjuntada que eu já vi na NBA nos últimos anos!

Colocar Baron Davis e Ricky Davis ao lado um do outro só pode ser um experimento social! É um projeto de pesquisa acadêmica, ou então um reality show brega apresentado pelo Sílvio Santos! A última vez em que eu vi o Ricky Davis passando uma bola, resolvi maneirar na bebida. Acho mais provável ele arremessar uma bola de costas do meio da quadra (algo que ele faria naturalmente num jogo de playoff, por exemplo) do que passar conscientemente para um companheiro livre. Ele sabe pontuar, não me entendam errado, mas não se importa com mais nada no planeta. "Aquecimento global? Foda-se isso, me passa essa maldita bola!" Sim, a dupla de Davis (Baron e Ricky) pode ser um dos duetos ofensivos mais poderosos da Liga, mas também vai ser um dos mais retardados e imprevisíveis. A impressão que tenho é de que o Clippers está querendo juntar o maior número possível de peças que não se encaixam entre si: Baron Davis, Ricky Davis, Chris Kaman, Marcus Camby. Isso não é um time, é um show dos horrores! Ninguém combina com ninguém, nenhum jogador parece fazer sentido com o outro, é tipo um zoológico! Como próximas aquisições, o Clippers anunciará Michael Jackson, Sérgio Mallandro e um gorila treinado no circo, só pra fechar o grupo.

Eu tenho dó do Clippers. Eles parece sempre estar fazendo tudo que podem, adquirindo novos jogadores e lutando para manter os antigos. O único problema é que eles frequentemente caem nuns contos do vigário, e dessa vez foi o Ricky Davis. Todo mundo sabe que ele torna qualquer time imediatamente pior, que ele rompe com qualquer química presente e torna a situação insustentável. O que dessa vez é até engraçado, porque um time com Baron Davis, dois pirralhos, Kaman e Camby, já parecia não ter chances de ter química alguma. Vai ver a idéia é essa mesmo, química é coisa de professora gorda de colegial ou de time fracassado, tipo Pistons e Spurs. Eu entendo que o Clippers está conseguindo uns jogadores praticamente de graça (o Camby veio em troca de uma escolha de segunda rodada de draft, o Ricky Davis assinou por 2 anos e menos de 5 milhões) mas é preciso ser seletivo, parece que eles topam a primeira baranguinha que se atirar no colo deles numa balada.

Aliás, outra lorota famosa na NBA e que muita gente compra é o Isiah Thomas. Não, ele não assinou com ninguém, as lembranças de suas cagadas ainda estão muito recentes, mas não me assustaria vê-lo à frente de algum time em um ano ou dois. Isos porque, em sua defesa, sempre tem alguns gatos pingados que gostam de alegar que o Isiah é genial na hora de draftar jogadores.

Vamos voltar alguns anos no passado, para a noite do draft de 2006. Com a vigésima escolha, Isiah Thomas escolheu o ala Renaldo Balkman para fazer parte do Knicks. Toda a torcida de New York, presente no ginásio, vaiou até cuspirem os pulmões para fora. "Renaldo quem? Renaldo nem sequer é um nome de verdade, parece mais um erro de digitação! Ele poderia ter sido escolhido na vigésima nona escolha, que também era do Knicks!" Mas Isiah explicou-se, alegando que Renaldo era um ótimo jogador e que o Suns alegadamente draftaria o jogador com a vigésima sétima escolha da primeira rodada. Sei. Naquela mesma noite, o Suns, como sempre, vendeu sua escolha de draft para o Blazers, no que veio a ser o armador Sergio Rodriguez. Algo me diz que o time de Phoenix não poderia estar se importando menos com o draft e com o tal do Renaldo (força nominal zero!), que acabou esquentando banco para o Knicks nos anos que se seguiram. No mesmo draft, Isiah Thomas poderia ter escolhido versões melhoradas do Balkman, saídas diretamente da máquina de fazer Maxiells: eram Leon Powe, Craig Smith e Paul Millsap, todas opções muito superiores.

Hoje, o Knicks-sem-Isiah trocou Renaldo Balkman por um dedal e um botão de camisa (na verdade, por Bobby Jones e Taurean Green, além de uma escolha de segunda rodada). Na verdade foi apenas um modo de liberar espaço na folha salarial. Com isso, quase todas as "geniais" escolhas de draft de Isiah viraram farofa: Trevor Ariza, escolhido em 2004, foi trocado por um Steve Francis em decadência; Channing Frye, oitava escolha de 2005, teve uma temporada impressionante mas depois caiu vertiginosamente e foi trocado pelo Zach Randolph; por fim, Renaldo Balkman foi dado de graça em troca de teto salarial. Sobraram apenas David Lee, Nate Robinson e Wilson Chandler, sendo os dois últimos, aliás, estrelas de Summer Leagues. Só que liga de verão não é mundo real, então acho que já é hora desse mito de "bons drafts" cair.

Resumindo, Isiah Thomas não é genial em drafts. Kwame Brown não vai evoluir e começar a contribuir para equipe alguma. Ricky Davis não vai fazer qualquer time no mundo vencer um jogo sequer. E, pelamordedeus, o Gustavo Nery não faz a menor idéia do que é jogar bola. Mas sempre tem alguém que ainda acredita.

sábado, 26 de julho de 2008

"Both Teams Played Hard"

Rasheed não tem dessas de "brigar com alguém do seu tamanho"


Olha lá, nem faz tanto tempo assim desde a última coluna "Both Teams Played Hard", até está parecendo que nos esforçamos e nos importamos. O que não é bom, afinal ninguém gosta de quem é facinho, temos que nos fazer de difícil e ficar regulando mixaria. Prometemos enrolar mais da próxima vez.

Como sempre cansamos de dizer, esse é o lugar para você fazer suas perguntas mais cabeludas e solucionar suas dúvidas mais profundas: você pergunta, a gente aqui do Bola Presa responde. Mas como as respostas são de graça, não adianta depois ficar reclamando no Procon. Mas pode perguntar sobre qualquer assunto, aqui a gente não tem critério, pudor e muito menos bom senso. O que nos leva a uma questão interessante: por que alguém iria, portanto, querer perguntar algo pra gente? Misteriosamente, no entanto, perguntas nunca faltam.

Dessa vez temos dúvidas sobre gravidez, emuladores, dicas de paquera, além de questões sobre o Blazers, Mavs, Rockets e até, vejam só, o Grizzlies, que eu nem lembrava mais que estava na NBA. Aproveitem as respostas fresquinhas e não se acanhem, pode perguntar que a gente não morde!

...

Pedro Henrick:
1)Pq vocês não usam o Google AdSense? (ou algo parecido com isso)
2)Qual a melhor jogador pra se investir no futuro no FM? Rafael Forster ou Paulo Henrique?
3)Vou começar uma season no 2k8, e o meu starter-5 do Lakers é Barbosa - Bryant - Bynum - Gasol - Mike Miller. Se fosse na NBA de verdade,dava pra ir aos playoffs?
4)A melhor música de Soft Rock é a da "Piña Colada"?

5)Aaron Brooks é irmão do Michael, jogador do Coritiba?

6)Porquê o Cartola FC sempre demora pra atualizar o mercado?

8)Putz, era sétima

7)Explicação: CAPS LOCK quebrado

9)O São Paulo empatou com o Ipatinga só pra me ferrar no Chute Certo?

10)Primeiro comentário de novo!


Danilo:
1) Não usamos o adsense porque não tem nada mais horroroso do que uma caixa branca de propaganda sujando o blog inteiro em troca de um punhado de centavos. Ganhar dinheiro com o Bola Presa seria legal, claro, mas não estamos no fundo do poço. Não ainda. A gente chega lá, não se preocupe.

Denis:
2) Do que você está falando, menino? Mas Rafael Forster é um nome mais legal, invista nele.

3) Se você for viciado o bastante no 2k8 você chega nos playoffs até com o Knicks, então em um time com Kobe e Bynum você é campeão fácil. Na NBA esse time ia para os playoffs, mas lá não ia muito longe não, Barbosa, Gasol e Mike Miller não defendem ninguém.

4) Da outra vez tinha pergunta de Hard Rock, agora de Soft Rock! Que fescura! Rock é rock é rock e eu não sei que música é essa porque não tem no Guitar Hero.

5) Não, se ele fosse tenho certeza que o Aaron Brooks estaria no time de basquete amador do Coxa.

6) Porque eles só podem atualizar o mercado quando o Bola Presa responde o "Both Teams Played Hard", ou seja, semanalmente a casa quinze dias (podendo atrasar).

7) e 8) Além do CAPS LOCK existe o Backspace.

9) Não, o São Paulo empatou com o Ipatinga porque é ruim e precisa contratar o Zidanilo de volta.

Danilo:
10) Sempre soubemos que o Bola Presa só seria realmente um sucesso quando surgisse alguém completamente sem vida comemorando todo feliz por fazer os primeiros comentários em cada post. Esse momento finalmente chegou, Pedro. Se por um lado ficamos felizes com a constatação do sucesso, por outro ficamos tristes porque você não tem vida e precisa arrumar um cachorro ou uma namorada. Ou usar um cachorro de namorada, mas nisso eu não me meto.

...

Victor Moraes:
1 - Brian Plank e Kevin Piknell a melhor dupla de ataque do FIFA 94 (isso não é uma pergunta é uma afirmação)
2- Qual seria a segunda melhor dupla? Eu arriscaria Rico Salamar e Janco Tianno.

3- Pq as pessoas querem sempre aparecer sendo as primeiras a comentar em em algo ou a responder tópicos inúteis no orkut só para ser "first page"?

4- Mutombo é o Highlander?

5- Vocês também ficavam na frente do goleiro e corriam do juiz no FIFA 94? Ou só eu era tonto de fazer isso?

6- A pior seleção do jogo é do Qatar?

7- Vcs conhecem o blog Spurs Brasil? www.spursbrasil.wordpress.com

8- Não para, não para, não para! Aqui é Corinthians!


Denis:
1) Heil, Plank.

2) Já disse aqui e repito, a melhor dupla do FIFA 94 é Roberto Favaro e Joe Della-Savia.

Danilo:
3) Essas pessoas não ganharam um pônei quando pediram na infância.

4) Nunca ninguém tentou cortar a cabeça dele, então se o Mutombo é Highlander, ele é o último imortal.

Denis:
5) Claro! Todo mundo ficava na frente do goleiro no FIFA 94, não tinha essa baboseira de "Fair Play" naquela época.

Danilo:

6) Sim, o Qatar é a lendária pior seleção da história do Fifa Soccer 94. Aliás, arrisco-me a dizer que era o adversário mais fácil da história dos videogames, mais do que o E. Honda no Street Fighter 2. Diz a lenda que era possível derrotar o Qatar sem olhar para a tela, apenas apertando o botão de chute sem parar.

7) Brincadeiras - e ódios - com o Spurs à parte, o Spurs Brasil é um dos melhores blogs dedicados a um time da NBA na internet brasileira. Confesso que não leio muito, mas admiro a dedicação e a qualidade.

8) E depois tem gente que ainda tem a coragem de dizer que as musiquinhas da torcida do São Paulo é que são ridículas...

...

Ralph:
1- Qual é a real altura do Charles Barkley? 1,98? 2,00. Juro que não encontro informações em lugar algum, quem sabe vocês não saibam.
2- Por que o Chuck Hayes insiste em jogar no garrafão com 1,98 e a impulsão do Ilgauskas?

3- Qual seria a maior vergonha pro Nets ter ficado sem Gallinari ou ficar sem Lebron em 2038? Vocês não acham este comportamento ridículo? Jogar uma ou duas temporadas fora por uma hipótetica e futura aquisição?

4- Vocês fizeram um post tão legal sobre os Free Agents, poderiam fazer um similar sobre os contratos, BYC, Larry Bird Exception, MLE, Full-MLE, aquela regra que faz o Finley receber 1 zilhão de doláres do Mavs e jogar no Spurs por merreca, e tal. Confesso que já soube de quase tudo isso, mas é tanta coisa que não sei quase nada mais.


Denis:
1) No site da NBA o Charles Barkley é listado como 6-6, ou seja, 1,98m, a mesma altura do Kobe Bryant, por exemplo. Como o Renan Ronchi disse nos comentários: "Barkley tem 1.98 e pegava rebotes mais do que muito pivozão de 2 metros e meio, mas isso não vem ao caso."

Danilo:

2) Primeiro, porque o Chuck Hayes é largo. Segundo, porque não tem ninguém no Houston com tamanho para reinvindicar a vaga. Mas justiça seja feita, o Hayes é um bom defensor de garrafão graças a um bom posicionamento e uma habilidade considerável em roubar bolas e desviar passes. Não ser capaz de sair do chão e levantar os braços, no entanto, não ajuda muito.

Denis:
3) Acho que o Nets não ficou com vergonha de perder o Gallinari porque sobrou o Brook Lopez no colo deles, mas ficar sem o LeBron vai pegar mal, porque eles estão deixando bem claro o que querem e estão dispostos a ter um time mais ou menos por duas temporadas só para isso.

4) Sei, você gostou da foto da Juliana Silveira no post sobre os Free Agents e agora quer mais explicações da nossa professorinha. Tudo bem, tudo bem, vamos providenciar um post explicando toda essas regras malucas da NBA. Quer dizer, precisamos ver se entendemos todas elas antes.

...

Charles:
1- Todo mundo falava que a melhor dupla de armação(titular-reserva) da NBA, eram Calderon e TJ Ford e agora qual vai ser ?
2- Com um garrafão formado pro Wilcox e Collison ou Swift ou Petro, é melhor mudar de cidade ou de planeta ?

3- O Grizzlies com Mike Conley - OJ Mayo - Rudy Gay - Warrick - Milicic, vai continuar levando pancadas ?
4- Porque ninguem chega aqui e pergunta: Monte um time no meu NBA live...
Tinsley - Hughes - Ricky Davis - Antoine Walker - Magloire
Onde chego com esse time ? Selo Zaza Pachulia de Qualidade, vamos reeeguer os caras.


Denis:
1) Se o Derrick Rose for tudo o que promete, a dupla Rose e Hinrich pode ser muito boa. Tem também a dupla Billups e Stuckey, mas só pra quem acha que o Stuckey é armador principal, eu não acho.

Danilo:
2) O melhor é mudar de esporte mesmo. Tentar luta greco-romana.

Denis:
3) Sim. Eles estão no Oeste e ninguém nesse time arremessa de 3. E nunca que um garrafão com Warrick e Milicic como titulares vai para os playoffs.

Diego:
4) Essa eu respondo, chega muito perto da cadeia.

...

Renan Ronchi:
1 - O Cavaliers está envolvido em mais rumores do que o meu Bulls. Significa que até nisso, que o Bulls era disparado o melhor, ele foi passado. Devo chorar e passar a torcer pro Hawks?
2 - Por que o Magic não dedica 20 horas de seu tempo treinando aquele Kruger visando ele ser um all star? O cara tem um nome tão legal e nem entra em quadra, se é que não está na NDBL ou na europa.

3 - Gerald Green terá espaço na NBA essa temporada jogando pelo Dallas?


Denis:
1) Não! Não cometa o mesmo erro duas vezes, parar de torcer pro Bulls pra torcer pro Hawks é insistir em torcer para times que vão passar 10 anos sendo "times jovens que ainda vão estourar". Se você gosta de pivetada, torça para o Blazers, eles sim vão ganhar tudo.

2) É porque o Orlando Magic não tem conhecimento da ciência por trás da Força Nominal. Se tivessem, não teriam gastado uma fortuna com um simples Rashard Lewis. Eita nominho sem graça.

Danilo:

3) O Gerald Green não vai ter espaço nenhum em Dallas. Ele parece ter as ferramentas necessárias mas não tem a capacidade de jogar basquete. Provavelmente foi assinado apenas para entreter seus companheiros de equipe com enterradas durante os treinos. A gente aqui no Bola Presa torce bastante por ele, simplesmente porque talento não falta pro rapaz, mas eu pessoalmente não tenho muitas esperanças. Se bobear, vai pra Europa.

...

Marcelo:
Quando vcs responderem, o Josh Smith já terá acertado com o 76ers hehehe...
1) Caso isso se concretize, ele e Iguodala formarão a melhor dupla de cravadores da NBA?
2) O que falta para o Dallas deslanchar e parar de morrer na praia?

3) O que esse time do Portland pode fazer nessa temporada? Além do excelente Roy, vem aí Oden. Na minha opinião, esse time promete.


Denis:
1) Rá, errou! O Josh Smith não está no Sixers, logo, não formarão a melhor dupla de cravadores (que termo bizarro!) da NBA.

2) Para o Dallas parar de morrer na praia? Hum... acho que falta o Tim Duncan. É, o Duncan poderia resolver as coisas por lá. Mas sério, faz alguns anos que o Dallas tem um elenco muito bom, o que falta é ir lá e ganhar.


Danilo:

3) Acho que o time não promete mais, o Blazers simplesmente é. Como disse faz pouco tempo, o que o Portland fez é simplesmente ridículo, reestruturando um time perdido e se tornando um dos elencos mais versáteis e profundos de toda a NBA. Além de Roy e Oden, não dá pra esquecer dos novatos Rudy Fernandez (que já é veterano na Europa) e do Jarryd Bayless, que acabou de ser eleito o melhor calouro da Summer League de Las Vegas.

...

JG:
1- Ei, a mina do selo de balada é minha namorada! Quer dizer, depois dessa vai ser ex.
2- Qual vai ser o melhor calouro da temporada? Oden? Beasley? Rose? ou o glorioso Omer Asik?

3- Vcs disseram que são ajuntados. Quem é o ativo e quem é o passivo?

4- Pq ninguém gosta dos Veados de Milwaukee e das Tosquiaderas de Los Angeles?

Denis:
1) Mentira, porque ela tinha "Solteiro" no Orkut. E se está no Orkut é verdade.

2) Eu não boto tanta fé assim no Derrick Rose, acho que o calouro desse ano vai ser o Greg Oden ou o OJ Mayo. Mas é só um palpite ridículo e desnecessário porque nenhum jogou nada ainda.

Danilo:
3) Esse negócio de "ativo" e "passivo" é muito ano passado, você não está ligado nos relacionamentos modernos. E por falar nisso, você já marcou "bi-curioso" no seu perfil do Orkut? É a última moda, depois do "só add com scrap".

Denis:
4) Porque é mais legal torcer paras os setenta-e-seis da Philadelphia.

...

papel noel:
o que é afrodite? existe no mundo um ser desse?

Danilo:
Depende, você está falando da deusa grega da beleza e do amor ou do Cavaleiro de Peixes, dos Cavaleiros do Zodíaco? Se for a deusa grega, depende de sua crença no politeísmo. Se for o Cavaleiro, então a resposta será "não" - mas existem vários parecidos por aí noite afora. Num filme com atores de verdade, o Cavaleiro de Peixes provavelmente seria interpretado pela Elke Maravilha, por exemplo.

...

Artur:
1- pq todo mundo fala dakela coisa grotesca chamada fifa soccer, sendo q qlqer ISS era totalmente melhor? Eh igual comparar NBA Live com 2kqlqer coisa...
2- Alguma possibilidade do dirk se afundar na erva junto com Josh Howard, caso perca para o brasil no pré olimpico?

3- ha alguma possibilidade do dallas na fazer merda esse ano?

4- tem algum time mais forte q o meu na liga de fantasy? ;)
5- como alguem tem coragem de escolher o Mahimi?

6- CORINTHIANS CAMPEAO DA LIBERTADORES? o corinthians chegou tao longe na libertadores qto meu criciuma.... entao nao falem asneiras

7- Na comunidade do dallas falam de uma troca de Wilcox por stackhouse mais umas malas... como ajudaria o dallas isso?

8- quem eu escolho nessa rodada do draft da liga bola presa?


Denis:
1) Nós falamos do International Superstar Soccer no último "Both Teams Played Hard", com comentários sobre o Allejo e tudo mais.

2) Se o Dirk perdesse para o Brasil acho que as ervas do Josh seria pouco, ele ia precisar de coisa mais pesada. De uma coca da boa.

3) Diz a lenda que o Dallas está indo atrás do Ron Artest e que o Kings quer o Josh Howard e o Brandon Bass em troca. Eu acho uma boa, até, mas tem gente que chamaria isso de "fazer merda".

4) Tem, e atende pelo nome de Interlagos Racecars. Aguarde.

Danilo:
5) Na hora pareceu uma escolha bizarra, mas agora até que faz mais sentido, ele deve jogar, contribuir e ganhar um salário apenas simbólico.

Denis:
6) Então Criciúma Campeão da Libertadores também! Em um mundo em que a Dercy Gonçalves morreu e o Scalabrine tem um anel, tudo é possível.

7) Isso não ajudaria o Dallas. Fato. O Wilcox é lixo. Fizeram melhor em trazer o Diop de volta do que em ir atrás do Wilcox.

Danilo:

8) Escolhe o Iam Mahinmi... não, espera. Esse já foi.

...

kwame white:
qual é a diferença do big ben wallace e o chuck norris?

Danilo:
O bigode.

...

Pedro Ivo:
1)LDU ou Flu
2)FIFA ou WE

3) quem leva em 2008-2009?

4)Que merda o meu Houston deve fazer para eu fazer vc quebrara a cara ai em cima ao apostar em Lakers,Suns e etc...

Denis:
1- O Fluminense é mais time. A LDU sabe bater pênaltis.
2- Winning Eleven está para o FIFA Football assim como a série 2k está para o NBA Live.
3- Eu sei quem não leva. O Sonics.
4- Para o Houston quebrar a cara de quem aposta em Lakers, Suns e etc, eles têm que ganhar pelo menos uma série de playoff. E eles podem ter um armador melhor que o Rafer Alston também. Ah, e chegar aos playoffs sem nenhum contundido. E ganhar 22 jogos seguidos na hora certa. E arranjar um mascote menos idiota que um urso de pelúcia. E não ter o Steve Francis no time. Acho que só.

Danilo:
4- Não me ter como torcedor também deve ajudar.

...

Lucas.MG:
se vcs fossem montar uma seleção só de canhotos, como ficaria? A minha seria:
PG:Derek Fisher

SG:Michael Redd/Manu

SF:Tayshaun Prince/Lamar Odon

PF:Josh Smith/Michael Beasley

C:??


OW!!
esqueci do Chris Bosh!!

Denis: O Bosh pode ser o pivô desse time, mas você lembrou dele depois. Pra completar acho que só falta um armador reserva, que poderia ser o Beno Udrih, e um reserva para o Bosh, que poderia ser o David Lee. Tem ainda o Troy Murphy e o Zach Randolph, mas não colocaria eles no lugar de nenhum dos escolhidos no seu time.
...

Chris Douglas Roberts:
1- Oq diabos é esse denis e danilo with avental?
2-Denis, oq te levou a torcer pelo lakers?
3-Danilo, oq te levou a torcer pelo Rockets?
4- Oq vcs preferem?Montar um time pra ser campeão agora ou sempre pensar no futuro da equipe?
5- Oq vcs fazem na offseason?
6- Todos falam mal do Zach Randolph + pq tem tanta franquia atraz dele?
7- Oq é aquele simbolo q o Stromile Swift faz depois de dar suas enterradas?
8- Não rola mta briga entre vcs pois rockets e lakers se enfrentam 4 vezes na season e ainda corre o risco de se pegarem nas plaoffs.
9-Vcs curtem Michael Jackson?
10- Vcs assistem alguma serie?
11- Q tipo de musicas vcs curtem?
12- Oq leva um jogador a entrar na nba todo facero e acabar sendo um nada?tipo nao treinar e nao ser esforçado?Uma cambada de gente querendo entra la e quem entra nao se esforça!!Fico loco com isso.


Denis:
1) Não sabemos do que você está falando, mas você será assassinado em breve por saber demais.

2) Porque eu imagino que se o John Fante se importasse com basquete ele seria um fã do Lakers. Viva Los Angeles!

Danilo:
3) Torço pro Rockets porque eu sempre quis ser astronauta quando criança.

Denis:
4) Pior que muita gente faz essa pergunta e tem essa dúvida, mesmo na NBA. Mas pensa bem, qual é o objetivo do campeonato, não é vencê-lo? Então monta um time pra vencer e pronto, não deveria ser uma dúvida.

5) Eu vivo como uma pessoa comum. Saio com minha namorada, leio livros, revistas, jogo video game, limpo meu armário. Mas aí finalmente começa a temporada e minha vida volta à deliciosa rotina de ver uns 2 ou 3 jogos por noite! Ah, o vício...

Danilo:
5) Gostaria de dizer que minha vida muda ao fim da temporada da NBA mas não é verdade, eu continuo lendo sobre basquete todos os dias, assistindo a uns jogos que não valem nada cheio de novatos sem talento, dormindo tarde pra burro, postando no Bola Presa, saindo com a namorada e não limpando meu armário. Minha rotina civil no fundo é a mesma.

Denis:
6) Tem? Boa sorte pra elas...

Danilo:
7) Eu também queria muito saber, e acho que é o mesmo gesto que o LeBron James faz de vez em quando também. Alguns dizem que é um diamante, eu pessoalmente acho que é uma vagina.

Denis:
8) Não rola briga nenhuma, é só basquetebol! A gente só briga quando queremos ficar com a mesma garota, mas tudo se ajeita, a gente revesa e cada vez um fica com a amiga feia.

Danilo:
9) Engraçado, não é a primeira vez que respondo isso aqui no "Both Teams Played Hard". Tem certeza de que você já não fez essa pergunta antes? Eu conheço menos das músicas do Michael Jackson do que gostaria, e mesmo que eu nem goste taaanto assim, reconheço que ele chutava uns traseiros, era genial, revolucionário e também acredito que ele era inocente naqueles casos bizarros de pedofilia. Conheço alguns casos de homens adultos que brincam com crianças e acabam sendo ridiculamente acusados de besteiras assim. Vocês conhecem algum professor homem de ensino infantil? O proconceito é geral, o que é bem patético.

10) Eu assistia "Heroes", mas deu no saco. Sou fã de "Lost", mas por "fã" eu quero dizer que gosto bastante mas que sequer consegui assistir a segunda temporada inteira.

Denis:
10) Eu já desisti de "Lost", "Heroes" e "Prison Break", mas adorava todas. Agora estou vendo "House". Mas a melhor de todos os tempos foi "Seinfeld".

11) Não vou dizer que sou eclético porque isso é coisa de boiola, vou resumir em algumas bandas e aí você pode adicionar as semelhantes-mas-de-qualidade-inferior junto. Beatles, Pink Floyd, Strokes, Arcade Fire e Racionais MCs.

Danilo:
11) Em gostos musicais, eu e o Denis somos bem parecidos. Na verdade, eu nem gostava de música até ele mostrar algumas coisas (Beatles, ó, Beatles!) e aí não tinha mais volta. As bandas que eu não devo a ele são muito questionáveis, tipo Marilyn Manson, mas eu adoro.

Denis:
12) O que leva alguém a ver a Alinne Moraes na rua e não pular em cima dela para conseguir pelo menos um beijo roubado seguido de prisão? Sei lá, tem pergunta que não tem resposta.

...

guspo na kra:
1 -Se fosse pra assistir algum desses esportes, qual assistiriam: Baseball,Hockey ou American Football?
2- Denis, pq vc odeia o Regis Rosing? Po o cara é tão gente boa!!

3- Qnd vcs tão jogando akela pelada, oq vcs preferem fazer pontos ou distribuir assistencias?
4- Oq vcs acham do cyberdunk?Vcs tem algum jogador la?
5- Denis, vc diz q nao curte baseball e tem um boné da mlb?Explique-se já ou vamos ter q acertar nossas diferenças no 1x1!!

6- Danilo, se alguem tivesse q sair do houston quem vc tiraria: T-mac ou Yao?


Danilo:
1) Como já disse antes, eu assisto futebol americano com certa frequência, o que não quer dizer de modo algum que eu acompanhe e conheça os times. Entendo o que está acontecendo dentro de campo mas fico por aí, não manjo nada. Baseball eu gosto mais na teoria do que na prática, é um esporte bacana que não consigo assistir acordado. Hockey pra mim nem é esporte, como dá pra jogar um troço em que é impossível enchergar a bolinha? (perdão, perdão, o "puck")

Denis:
2) Você já viu as matérias em que o Regis Rosing adivinha que o gol está acontecendo atrás dele? Aquilo é mais idiota que o DJ Mbenga falando "Tacos!". Poderiam tirar aquilo do ar e reprisar a Flávia Freire repetindo a previsão do tempo.

3) Eu sou fominha demais pra pensar em distribuir assistências. Eu forço arremessos, não passo, sou o típico câncer de um time. Eu me odeio.

Danilo:
3) Eu prefiro fazer triple-doubles, uma pena é que eu não tenha mão esquerda e apesar da altura só consiga pegar os rebotes que batem na minha cabeça. Blogueiro é tudo assim, jogador frustrado.

Denis:

4) Só ouvi dizer, mas deve ser imbecil, idiota e muito viciante como todos esses jogos online.

5) Vamos resolver isso num 1x1 de basquete ou de baseball? Se for de baseball estou ferrado. Mas então, primeiro que eu tenho um boné do Yankees porque ele é bonito, ué, segundo que eu não odeio baseball, eu não assisto muito, não tenho paciência com as propagandas e com a temporada de 160 jogos, mas acho um esporte muito legal e que eu adoraria aprender a jogar, até porque parece ser mil vezes mais legal jogar do que assistir.

Danilo:
6) Tiraria o T-Mac, sem sombra de dúvidas. Ele é genial, completo, mas não é o jogador certo para estar ao lado de Yao Ming, um pivô que realmente transforma o jogo por receber marcação dupla toda vez em que toca na bola. Um jogador pior que o T-Mac mas com melhor aproveitamento nos arremessos acabaria tendo resultados melhores ao lado do pivô chinês. O mundo é bem injusto.

...

Danilo Galinari:
1- Oq leva um idiota a colocar cadeado no album do orkut?
2- Vcs jogam CS?

3- Oq vcs acham de pessoas q botam fotos de jogadores no orkut?

4- Qnd perguntado da onde vcs se conheciam vcs falaram q era pela mãe, isso quer dizer q vcs são irmãos ou viajei legal?


Danilo:
1) Não saber brincar. Quando você entra no Orkut, existe um contrato silencioso, um código implícito, que diz: você fuçará na vida dos outros mas deixará que fucem na sua! É tipo um décimo primeiro mandamento! Ver as fotos dos outros todo mundo quer, mas mostrar as próprias fotos não pode? Se houver justiça no mundo, essa gente vai se arrepender do que faz.

Denis:
2) Se eu jogasse não teria tempo para ficar respondendo desconhecidos no meu blog.

3) Se for um cara eu acho legal, se for aquela moreninha firmeza que ao invés de colocar as fotos dela na praia coloca fotos do Kenyon Martin, aí eu acho revoltante.

4) Viajou legal, mas ganhou meio ponto de bônus porque sua interpretação fez muito sentido.

...

Spoleta Sofredor:
Me ajudem, digem como posso puxar papo com uma gata q conheço + q nao bota uma na minha.:(

Denis:
Primeiro, se ela "bota uma na sua" você nem precisa puxar papo, mas já que ela não bota uma na sua, você precisa se esforçar.
Você conhece a mina, então falar com ela não é tão difícil, mas não tente ser banal, falar da prova da semana que vem ou daquele cliente chato, conversas banais só servem pra pegar mulher quando os dois estão afim e só conversam antes de se comer por desencargo de consciência, pra dizer que não se comeram sem nem saber o nome.
Mas não tente ser amigão demais, se for amigão demais ela vai se abrir pra você, mas do jeito que você não quer. Ao invés das pernas ela vai abrir o coração e aí, nesse exato momento, você vira o amigo-gay dela, o cara para quem ela desabafa e suas chances de pegar ela estão acabadas.
Acho que você não deve puxar muito papo não, já que você conhece ela, um dia o papo aparecerá naturalmente, alguma coisa vai acontecer, você vai comentar com ela e irão começar a conversar, aí você olha firme pra ela, faz voz grossa, olha no olho e chama ela pra sair. Se você é ruim de papo pode chamar ela pra um cinema, lá vocês não precisam conversar, é só pegar e se divertir.

...

eu mesmo mesmo:
Como faz pra jogar os jogoas de super nitendo no computador? o que tem que baixar e aonde voces indicam ?

Danilo:
Você tem que baixar um emulador e depois os jogos individualmente. O melhor emulador é o ZSNES, que você pode baixar aqui. Para os jogos, não tem nem que pensar duas vezes: a melhor fonte é o site francês Planet Emulation, mas tem que falar o nome fazendo biquinho. São quase dez mil jogos de Super Nintendo, ou seja, tem absolutamente tudo que saiu para o console, incluindo diversas traduções e modificações não-oficiais se você curte esse tipo de coisa. Pode conferir os jogos aqui.

...
enquete:
Se pudessem investir em apenas um dos dois jogadores abaixos, em quem apostariam seus milhões?
Josh Smith
Andre Iguodala
Denis:
Que pergunta imbecil! Eu acho que nenhum dos dois lidera um time sozinho, acho que os dois são ótimos como segunda opção e não tem nenhuma opção de resposta com essa opinião. Puta enquete mal feita, coisa de site amador.

...

Igor:
Leio o blog ja faz muito tempo antes do primeiro both teams played hard mas nunca comentei nada hoje pela primeira vez vou comentar alguma coisa!
1-O clippers aparece em 320 rumores diarios querendo todo mundo voces acham que o time ira assinar com alguem ou sao apenas rumores?

2- Superintendente Mario é so mais um que aparece na summer e depois some ou voces acreditam no seu potencial?

3-o time de que surgiu do finado Sonics ja tem nome definido?
4- todo mundo fala do Galfano mas e o DeSinone so eu achava o cara foda e mandava pelo menos 2 gols com ele?

5-Qual jogador que esta na universidade que voces acham que tem tudo pra ser um otimo jogador na nba?


Danilo:
1) Todo time com espaço na folha de pagamento fica metido em quinhentos rumores de que vai assinar deus e todo mundo, mas quando se trata de um time amaldiçoado como o Clippers, em que ninguém quer jogar, esses rumores nunca se concretizam. O Baron Davis foi assinado porque foi completamente ingênuo e achou que iria jogar com seu amigo Elton Brand, mas o Brand que é esperto deu o fora. A aquisição do Marcus Camby no saldão do Nuggets foi apenas sorte, o Clippers nunca sabe o que está fazendo.

Denis:
2) O Mario Chalmers era bom em Kansas e foi bom na Summer League, até ver ele jogando mal eu vou acreditar nele. Talvez ele não seja bom o bastante pra ser titular na NBA, mas espaço por lá parece que tem.

3) Oficialmente, com logotipo e notícia na NBA.com ainda não, mas tudo indica que será Thunder. Pronto, última vez que eu digo esse lixo de nome no Bola Presa.

4) O DeSinone tem comunidade em homenagem à ele no Orkut? Se não tiver então só você achava ele bom mesmo. Use o Orkut para conhecer mais a sociedade brasileira hoje no Brasil.

Danilo:
5) Tô longe de manjar de basquete universitário, só acompanho nas fases mais críticas e faço minha lição de casa na época do draft. Por isso, quando é pra falar dos "jogadores que devem dar certo" eu vou completamente na onda. Dos jogadores que já estão no universitário eu gosto do armador James Harden, por exemplo, porque "dizem que ele é bom". Quando eu realmente souber se ele chuta mesmo uns traseiros, pode deixar que eu te aviso.

...

Lucas.MG:
1-Ramon sessions sera titular na proxima temporada?
2-Oq vcs esperam de greg oden?

3-Odon ou Artest?

4-Vince ou T-Mac?

5-Pepsi ou Coca-Cola?

6-McDonalds ou Bobs?


Denis:
1) Acho que a principio não, mas em pouco tempo o Scott Skiles deve ver que o Mo Williams não é tudo isso.

2) Eu só espero que ele não seja mais um desses grandes jogadores que nunca chegam no auge de seu potencial por falta de saúde, como Grant Hill e Penny Hardaway.

Danilo:
2) Eu espero que ele domine o jogo pelo menos do lado defensivo o suficiente para ganhar uns anéis em Portland.

Denis:
3) Pra casar com a minha irmã ou no meu time? Para as duas perguntas eu sou mais o Artest. Embora eu seja fanático pelo Lamar Odom.

Danilo:
4) Num campeonato de enterradas ou no meu time? O T-Mac é um jogador muito melhor e mais completo, mesmo que eu considere o Carter bom pra burro, só acho que ele não tem muita noção na hora de selecionar seus arremessos.

5) Guaraná.

6) Para comer ou para beber? Poucas coisas no mundo se equiparam a um Ovomaltine do Bob's,e eu já achava isso antes do hype, das comunidades do Orkut e das ninfetinhas tomando um em toda esquina, pode acreditar. Mas pra encher a pança, ainda prefiro o bom e velho Mc. Embora "preferir" não signifique nada, faz uns anos que não como por lá.

...

Brasil:
Com a escolha de um armador, quem o bulls deve descartar?Gordon ou Hinrich?

Denis:
O Hinrich é a escolha mais óbvia, porque é armador principal como o Derrick Rose, mas com a saída do Chris Duhon o Bulls vai precisar de um reserva mais experiente para o Rose, acho que por enquanto é melhor ficar com os dois lá e torcer para eles voltarem a jogar basquete.


...

erick:
Barbosa ou Monta ellis?

Denis: Pra quê? Pra casar? Ou é uma corrida? Se for concurso de bola de 3 dá Barbosa, se for quem é o melhor jogador, é o Monta Ellis.

...

caioJF:
1. pq a australiana nao venceu?(miss universo)
2.eu tenho 85 cards da temporada 95-96 quer comprar?se alguem quiser e so mandar um e-mail para cezar7fr@hotmai.com(em otimo estado)
3.eu me chamo caio e meu melhor fundamento e o arremesso,na nba temos kyle,peja,hedo,ray e quando o negoço e joga no garrafao temos shaquille,kareem,dwight,zydrunas,antawn ou seja,os jogadores mais altos,de garrafao,tem um nome maior e os arremessadores um nome menor.isso e noia minha?força nominal?coincidencia?

4.o q e pior:ver o programa da luciana gimenez(salvo os dias de desfile de lingerie)ou um jogo narrado por andre henning e comentado por paulinho villas-boas?


Denis:
1) Porque Miss Universo não é só beleza, tem que ser inteligente, simpática, carinhosa, glamourosa. E porque a australiana tinha cara de metida, claro.

Danilo:
1) Que se importa com a australiana? Até agora não engulo a Miss Coréia do Sul não ter sequer passado da primeira fase, foi pior que o Grizzlies!

Denis:
2) www.mercadolivre.com.br

3) O que a offseason não faz com as pessoas? Você devia estar muito entediado pra pensar nisso. Mas pensa bem, o Peja é arremessador mas o nome dele não é Peja, é Pedrag Stojakovic, é um bocado longo. E se apelidos valem, Shaq é um bem pequeno.

4) Jogo narrado pelo Henning é difícil. Tem gente que gosta de narrador que "anima" o jogo, mas ele grita demais, me dá nos nervos, eu perco a concentração e começo a me debater. A Luciana Gimenez não grita, mas é uma anta. Entre os dois eu fico com o bom e velho programa do Ronnie Von, nossa mãe de gravata.

...

joao_mavs:
sou torcedor do vasco, do mavs e meu segundo time preferido na NBA eh o bucks... estou fadado ao sofrimento eterno?

Denis: Putz, cara, me sinto mal por você. De verdade. Procura um psicólogo, leia "Quem mexeu no meu queijo?" e tente se livrar dessas coisas supérfluas como os resultados no esporte.

...

ViniciusLima:
1- Vcs sabem como fazer alley-oops no NBA 2K8 para PS2?
2- Vcs curtem, assim como eu, uma boa música sertaneja?


Denis:
1) É L1+ O, ou tô errado? Mas tem que ser no momento certo, tem que ter um cara lá pra pegar o passe, senão vira só passe "lobby".


Danilo:

2) Não sei, nunca ouvi uma música sertaneja boa...

...

Felipe Cuginotti:
1) meu amigo mandou perguntar: se ele fizer sexo sem camisinha so que a mina for virgem ela engravida mesmo!?
2) é possivel o Houston Rockets se equipar com um armador loucura bruta para essa temporada?

3) Vocês não acham que as nadadoras bia e branca deveriam ganhar uma vaga(quem sabe uma medalha de ouro) de graça para as olimpiedas da china?












4) o U.S.A vai acabar ganhando facin as olimpiedas ou alguma outra seleção pode desbanca-los?


Danilo:
1) Depende, ué. Se a guria estiver num período fértil e o rapaz acertar o buraco certo, a mina pode engravidar numa boa. Se não for o caso, a garota não engravida. Por via das dúvidas, faça o favor de cobrir o seu "rapazinho", um pouco de látex não mata ninguém. Mas em todo caso, o problema é seu, não é o Bola Presa que vai ficar esquentando mamadeira se "teu amigo" fizer merda. E por "teu amigo", eu quero dizer "você".

2) O que diabos significa "loucura bruta"? Olha, loucura o Rafer Alston, armador titular do nosso Houston, sempre teve de sobra.

3) Que nada, quanto antes se aposentarem das piscinas e fracassarem na carreira de atrizes, mais rápido vão acabar posando pra Playboy! Vamos torcer para o fracasso delas!

Denis:
4) Se não acontecer nenhuma zebra, as medalhas devem ficar entre EUA, Espanha, Argentina, Grécia e Rússia. Mas como é torneio de tiro curto e cheio de mata-mata, a Alemanha e a China podem até conseguir uma semi-final.

...

Yo:
Por que esta é uma coluna semanal se nao é respondida nem escrita semanalmente?

Danilo:
Conselho do nosso numerólogo. Coluna quinzenal não atrai energias positivas. Sem contar que, com uma coluna quinzenal, acabaríamos respondendo só uma vez por mês.

sexta-feira, 25 de julho de 2008

O cabelo mais bonito da Grécia

Vai pegar muita grega firmeza com esse cabelinho


A notícia da semana na NBA, como todos vocês já devem estar sabendo, é a ida do ala Josh Childress do Atlanta Hawks para o Olympiacos da Grécia. O contrato é bem gordo, 20 milhões de dólares, sem desconto de imposto, para disputar 3 temporadas, sendo que Childress pode optar por voltar para a NBA depois de qualquer uma das 3 temporadas de acordo com o seu contrato (engraçado é que se ele voltar para a NBA, o Atlanta Hawks ainda tem o direito de igualar qualquer oferta, Childress volta ainda como Free Agent restrito). Essa transferência está dando o que falar, tem gente que acha que é o começo da decadência da NBA diante da força do basquete europeu, tem gente que acha que é um caso isolado, tem gente que acha o cabelo do Childress engraçado e tem os que acham que é um pouco de tudo, como eu. E vai dizer que o cabelo do Childress não é engraçado.

Primeiro vamos falar do caso Childress apenas, de maneira isolada. Por que diabos ele foi pra lá? O primeiro motivo é que ele não queria continuar no Hawks. A cidade de Atlanta não parece odiada como Milwuakee mas o técnico parece ser uma pessoa tão legal quanto o Galvão Bueno. Tanto Josh Smith quanto o Josh Childress disseram que não queriam continuar no Hawks e a principal razão, dizem, é o técnico da equipe. Quem poderia prever que depois de ser a surpresa dos playoffs, eles seriam o grande fracasso da offseason?

Então o primeiro motivo é esse, ele não queria ficar no time em que jogava. Então vem outra questão, por que não mudou de time e continuou na NBA? Bom, como qualquer jogador (até o Tyronn Lue), o Josh Childress terminou seu contrato de novato e agora queria um contrato Faustão (grande, gordo e que só de ver dá vontade de rir) para se estabilizar financeiramente. Porém, não eram muitos times que tinham espaço na folha salarial nesse ano, sendo que muitos times estão se preparando para 2010, quando LeBron, Wade, Joe Johnson, Ginobili e mais uma caralhada de caras poderão assinar com qualquer time. Com isso, ninguém se preparou para esse ano e no fim das contas apenas Sixers, Warriors, Grizzlies e Clippers tinham reais chances de oferecer uma boa graninha pelo Childress. Mas convenhamos que nenhum desses times é uma daquelas potências da liga em que se dá gosto de jogar, talvez apenas o Sixers tenha um bom futuro próximo e o time até mostrou interesse pelo Childress, mas depois de oferecer aquela bolada pelo Elton Brand eles ficaram fora da jogada. O tempo foi passando, o Warriors pegou o Maggete, o Clippers usou o espaço que tinha para pegar o Marcus Camby, o Grizzlies disse que não deve contratar mais ninguém. Se você pensar bem, o Josh Childress não tinha muitas opções senão aceitar a milionária proposta grega ou topar um contrato magrinho na NBA para voltar ao mercado dos Free Agents no ano que vem. Lembrando que essa estratégia de esperar um ano não deu nada certo para caras como Andre Iguodala, Luol Deng e Ben Gordon.

Se o especial caso do Childress não preocupa, o que dizer de Boki Nachbar, Carlos Delfino e Jorge Garbajosa indo para a Rússia? Ou Primoz Brezec indo para a Itália e Juan Carlos Navarro voltando para a Espanha depois de uma temporada de relativo sucesso na NBA? A liga deveria se preocupar com isso?

O principal motivo dessa saída não é culpa do David Stern. E olha que poucas coisas no mundo não são culpas do David Stern - o aquecimento global, como todos sabemos, é. A principal causa é a desvalorização do dólar contra o Euro cada vez mais forte. O que não falta agora é artista pedindo pra ganhar em Euro, lembro de ler uma notícia há pouco tempo dizendo que a Gisele Bündchen só ia negociar contratos em Euro agora, ninguém mais quer ganhar em uma moeda que vale menos a cada dia.

O outro motivo, por incrível que pareça, é que a NBA é boa demais. Vamos pegar o exemplo do Navarro. Por melhor que ele seja, nunca iria chegar ao ponto de liderar um time na NBA. Se ele pegasse muito o jeito da liga, no máximo ia virar o que o Stojakovic é hoje, mas não com o mesmo salário porque todo mundo acha que o Hornets fez uma burrada em pagar tanto pelo sérvio. Já na Europa, o Navarro é o tipo de cara que quando chega faz um time deixar de ser mediano e virar candidato a título. E ganha para isso também. Lá ele assinou um contrato de 20 milhões de dólares por 4 anos, bem mais do que ele ganharia na NBA, onde provavelmente seria apenas um reserva de luxo.

E isso pode-se dizer de todo mundo. Imagina o Nachbar sendo reserva do Jarvis Hayes no Nets, o Garbajosa sendo o novo cara-que-dança-no-banco no lugar do Turiaf caso tivesse aceitado a proposta do Lakers, ou o Brezec afundando no banco do Raptors esperando o Jermaine O'Neal se machucar de novo. Não há o que a NBA possa fazer a respeito, os clubes europeus têm cada vez mais dinheiro e os jogadores vão sempre escolher o lugar em que vão ganhar mais dinheiro para ter uma função mais importante.

E esse negócio de função mais importante vai ainda mais longe do que só ser titular e ter minutos em quadra, tem a ver com prestígio também. E esse prestígio dos europeus dentro da NBA tem uma história interessante e que é bastante importante para entender o motivo que está fazendo os jogadores, principalmente europeus, a voltarem para a Europa ao invés de continuarem na NBA.

Há uns bons anos atrás, lá nos anos 90 ainda, os drafts eram lotados de americanos. As exceções eram raras, alguns poucos europeus e alguns africanos, sendo que esses em geral tinham feito faculdade nos EUA. Entre os europeus, vários fizeram sucesso, como Toni Kukoc, Arvydas Sabonis e Drazen Petrovic, ou seja, eram bons mas eram poucos. Foi só nesse começo de século que começou realmente um boom de gringos na liga. Dirk Nowitzki, que tinha sido draftado ainda pivete no final dos anos 90, estourou. Aí apareceram Kirilenko, Peja Stojakovic, Pau Gasol, Mehmet Okur, Hedo Turkoglu, Tony Parker, e até um que não era europeu mas que apareceu para o mundo jogando por lá, Manu Ginobili. Logo depois disso os EUA começaram a perder sua hegemonia no basquete internacional. Foram derrotas para a Argentina de Ginobili, para a Espanha de Gasol, para a Lituânia de Jasikevicius. Que conclusão tomar disso? O mundo estava alcançando os EUA e tinham dezenas de futuras estrelas da NBA espalhadas pelo basquete europeu.

De repente o draft estava recheado de nomes acabados em "ic", "ov" e "icius" ao invés dos bons e velhos "Johnson" e "Jackson". Foi a época em que se draftou Darko Milicic, Nikoloz Tsitishvili, Fran Vasquez, Andrea Bargnani, Yaroslav Korolev, todos como escolhas de topo do draft. Acontece que nenhum deles vingou na NBA, Darko e Bargnani nem chegaram a fracassar, mas não são nem de longe o que prometiam. Já Fran Vasquez foi o primeiro a não ir para a NBA para ganhar mais grana na Europa e fez, com isso, o Orlando jogar uma 11° escolha na lata de lixo. O nosso Tiago Splitter é a mesma coisa, não vai nunca para o Spurs porque ainda está ganhando uma bolada no Tau Ceramica, mas ainda acho que os dois vão para a NBA um dia.

Foi então que a moral dos gringos na liga americana começou a baixar. Antes eram novos recordes de quantidade de estrangeiros na NBA num jogo, no mesmo time, em um All-Star Game, depois os números foram baixando cada vez mais. Os erros no draft começaram a assustar cada vez mais os times da NBA e junto disso os próprios europeus dentro da NBA começaram a ser mal vistos. Com o passar dos anos, virou consenso o fato que todos os europeus, menos o Kirilenko, não sabiam jogar na defesa e que todos os gringos da liga inteira, menos o Ginobili, amarelavam no final dos jogos (com destaque para o Stojakovic e o Nowitzki). Talvez o auge dessa coisa toda tenha sido a final da NBA nesse ano. De um lado um time que dependia do Gasol, que não conseguiu render seu melhor jogo nas finais; de outro um time que não tinha nenhum europeu e que se destacava justamente por jogar bem na defesa, jogar duro. Além disso, antes da temporada, o manager do Celtics, Danny Ainge, disse que a Europa estava cheia de talento, mas não talento para serem estrelas, talento para ser "role-players", aqueles jogadores que só compõe elenco, com uma ou duas funções mais específicas.

Depois de anos do boom europeu, os times agora não estão dando valor para esses jogadores. Com poucas exceções, estão sendo vistos como o Danny Ainge os vê, como jogadores que só ajudam um pouco e estão recebendo propostas salariais que vão de acordo com essa função, logo, não é tão difícil para os times europeus, que, dizem, estão recebendo apoio de bilionários da mesma maneira que acontece no futebol europeu (e na MSI), igualarem ou superarem as ofertas.

Existe então uma chance da NBA um dia perder uma de suas grandes estrelas para um time da Europa? Eu acho pouco provável. Os times europeus ainda não tem bala na agulha pra pagar 15 milhões de dólares em um único ano para um só jogador. Além disso, as estrelas são tratadas como estrelas na NBA, fora o prestígio e os contratos publicitários que eles só ganham por terem uma evidência na mídia que não teriam em nenhuma outra liga do mundo. O que pode acontecer são estrelas já em fim de carreira irem para lá. Alguém se surpreenderia de ver um time com Michael Finley como cestinha na Euroliga?

Outra coisa que pode acontecer, e seria engraçado, foi sugerido por um cara no fórum do InsideHoops. Ele dizia que, se os jogadores medianos como esses europeus que estão voltando e caras como Josh Childress e até o Anthony Parker do Raptors (que foi MVP da Euroliga) forem para a Europa ganhar milhões, então a NBA iria virar uma liga de super-estrelas e lixo. Só iam ter os caras que são bons demais para sair da NBA e os ruins demais para conseguir vaga na Euroliga. Não creio que isso vá acontecer mas seria engraçado, já imagino meu Lakers voltando a usar o Smush Parker e o Kwame Brown junto do Kobe Bryant.

Uma das soluções que a NBA poderia adotar é a mesma que a WNBA adotou para atrair mais jogadoras do mundo todo: aumentar o teto salarial de cada equipe. Assim as equipes poderiam pagar, sem multas, cada vez mais dinheiro para os seus atletas. Mas existe um risco de inflacionar demais os salários, é só ver o que acontece na liga de baseball que (corrijam-me se estiver falando bobagem, fãs da MLB) não tem teto salarial como o da NBA e com isso pagam os salários mais altos e absurdos do esporte americano.

Um lugar em que o crescimento do mercado europeu deve influenciar ainda mais que a NBA é o basquete universitário. Primeiro vimos o fenômeno do colegial Brendon Jennings não conseguir ir para a faculdade e então optar por ganhar uma boa graninha indo jogar na Itália. Agora foi a vez do pivô da Universidade de Georgia Tech, Ra'Sean Dickey, que ao invés de ir para o seu último ano de faculdade decidiu ir jogar na Ucrânia. Claro que Dickey não é um nome de peso como Brendon Jennings, mas pode sugerir um novo caminho para a pivetada americana. Ao invés de fazer universidade sem ganhar dinheiro algum, podem ir para a Europa e fazer um bom pé de meia por lá antes de tentar a sorte na NBA.

Não sei se a NBA está se preocupando com isso agora, imagino que sim, já que o David Stern quer dominar o mundo e fazer toda a raça humana escrava das transmissões diárias da NBA como nós já somos, mas eu acho que eles nem precisam se preocupar tanto assim, o que está acontecendo é mais sinal de um crescimento europeu do que de uma decadência da NBA. Mesmo fazendo as coisas certas, não tem como impedir que os concorrentes cresçam, é normal de qualquer negócio. Além disso, a NBA tem a seu favor algo que nenhuma outra liga tem, o sonho. Todo mundo sonha em jogar na NBA, quando se pensa em basquete, no mundo inteiro, se pensa nos grandes momentos da liga americana. O ídolo de todo mundo é o Magic Johnson, Michael Jordan, e hoje Kobe Bryant e LeBron James, todos na NBA; todos que jogam basquete querem viver isso. A maior prova disso é a nova contratação do Portland TraiBlazers, o draftado no ano passado Rudy Fernandez.

Rudy foi a grande estrela do basquete na Espanha no ano passado. Ele foi campeão e MVP da liga Catalã, da Copa do Rei e da ULEB, uma espécie de Copa da UEFA do basquete europeu. Mas ao invés de ficar na Europa, em que todos os times o queriam e pagariam milhões por ele, Rudy Fernandez decidiu ir ganhar seu salário de novato no Blazers, onde ele pode até acabar sendo reserva de Brandon Roy. Quando assinou com o Blazers, expressou tudo isso o que eu disse agora, vejam:

"O Portland mostrou muito interesse em mim e garantiram que eu serei importante para o time. O time é jovem e eu quero ajudá-los a chegar nos playoffs e, por que não, no título. Não foi fácil escolher o que fazer mas acho que chegou o momento de encarar novos desafios. Agora tenho a chance de realizar meu sonho de ser parte da NBA."

Simples assim. O cara sentiu que será útil para o time e irá realizar um sonho. Para alguns, isso vale mais do que o valor do euro sobre o dólar.

Se a NBA perdeu o simpático e bom Josh Childress para a Europa, a Europa perdeu o espetacular Rudy Fernandez para a NBA. Não que não haja nada para se preocupar, mas a NBA ainda está no lucro.