sexta-feira, 20 de julho de 2007

Muy hermano


Luis Scola joga até que bem... para um argentino

Os torcedores do Magic vibram com a aquisição de Rashard Lewis, os do Knicks rezam para o experimento Randolph-Curry dar certo, os do Celtics sonham com a chuva de 3 pontos de Paul Pierce e Ray Allen, os do Lakers se contentam (fazer o quê) com a volta de Derek Fisher.
Enquanto isso eu, como bom torcedor do Houston Rockets, comemoro de fininho: meu time pode ter conseguido, sem alarde, as melhores aquisições até agora.

Eu sei, você está revirando os olhos e achando que eu sou apenas um fã cego e apaixonado. Que a troca de Juwan Howard pelo Mike James, um armador engolidor de bolas no circo, não foi nada demais. Que o Houston draftou mais um armador, o Aaron Brooks, num elenco com tantos jogadores dessa posição que seria possível formar um time de futebol com titulares, reservas e cheerleaders. E que agora recebe de volta Steve Francis, mais um armador, só que em fim de carreira e com tendinite nos dois joelhos.

A lista de armadores principais no Houston é imensa: Rafer Alston, Mike James, Aaron Brooks, Luther Head, John Lucas, Steve Francis e Vassilis Spanoulis.

Pra começar a alegria do Houston, Aaron Brooks foi escolhido o melhor novato das summer leagues, ficando na briga para MVP e sendo facilmente a maior surpresa do draft até agora. Ele é um armador pontuador extremamente veloz, excelente em penetrações e com um jumper de meia distância mortal. Seu papel deve ser fundamental no novo Houston de Rick Adelman, em que o ataque deve ser veloz e os contra-ataques brutais.

Para o Brooks ter espaço, é fundamental que alguns outros armadores sejam mandados para empilhar coquinho na descida. Estava pessoalmente torcendo para a ida do Rafer Alston. O "Skip to my lou", a grande lenda da And1, é com certeza o jogador mais desinteressante da NBA. Só passa a bola para o lado, arremessa só quando toma tapas na cabeça, e é um grande medroso de pontaria quase sempre infeliz.
Ainda estou torcendo para que ele e seus 5 milhões de salário dêem o fora, mas enquanto isso o Houston fez a troca mais surpreendente até o momento:

Vassilis Spanoulis por Luis Scola.

Spanoulis já foi chamado de "o novo Ginobili" e foi uma grande esperança do Rockets durante uns 3 dias, até o então técnico Van Gundy descobrir q o V-Span não sabia defender nem a mãe e afundar ele no final do banco, fazendo tricô.
Abandonado à própria sorte e implorando pra poder voltar a jogar na Grécia, o Houston conseguiu enviá-lo para o Spurs, o time cosmopolita.
Mas não perca seu tempo se preocupando com o Spurs ter agora dois Ginobilis, ou então tentando decorar o nome do grego (que eu possivelmente posso ter escrito errado). Isso porque o armador da Grécia já pediu oficialmente ao San Antonio para retornar ao seu país natal e, definitivamente, não deve jogar nunca mais na NBA. (E justamente por isso não merece sequer ter seu nome conferido por mim no Google!)

Isso quer dizer, meninos e meninas, que o Houston conseguiu o Scola basicamente em troca de um cacho de bananas.

O Houston Rockets se viu com uma infinidade de armadores e com apenas um ala de força. E acabou conseguindo para reforçar a posição possivelmente o melhor ala disponível no momento, um jogador inteligente, bom passador e com boa presença no garrafão. E, o principal: com todos os fundamentos e inteligência necessárias para virar uma engrenagem fundamental no esquema de Rick Adelman, que adora ver as bolas chegando nas mãos dos jogadores de garrafão para que dali saiam passes e se iniciem as jogadas.

Roubar um jogador desse nível das mãos (cheias de anéis) do Spurs?
Alegria em dobro. Até esqueço que o cara é argentino.

quarta-feira, 11 de julho de 2007

Notas sobre as summer leagues

Mais alguns pensamentos sobre os últimos jogos das summer leagues:

- JJ Redick e Adam Morrison que já lutaram pau a pau pelo título de cestinha da NCAA decepcionaram no ano passado e agora estão na summer league. JJ Redick começou melhor metendo 30pts. Nos jogos de ontem os dois foram bem, 17 pts para os dois. Já que o Adam Morrison tem o bigode mais legal da história da NBA, torço pra ele!

- Vocês viram o time titular do Wolves na summer league de Las Vegas? Foye, McCants, Craig Smith, Corey Brewer... há uma grande chance do time titular durante a temporada regular ser esses 4 mais o Garnett. Que outro time usa o time inteiro em uma summer league? Que fase...

- Tem um tal de Kevin Kruger no time do Orlando. Sem dúvida o nome mais legal das summer leagues.

- Lembra que eu disse pros fãs do Lakers ficarem felizes com a boa atuação do Sun Yue no primeiro jogo da China? Pois é, desde então ele não acerta nenhum arremesso e nem dá assistências. Yi Jianlian não tem sido muito melhor também, mas é claramente o melhor do time.

- Uma compensação para os torcedores do Lakers. No primeiro jogo do time, Javaris Crittentton foi ótimo, e no segundo foi a vez de Jordan Farmar. Se eles revezarem sempre assim durante a temporada, um dos problemas do time está resolvido.

- Daequan Cook fez 2-13 arremessos ontem. Eu aposto que ele vai ser muito ruim.

- Oden machucado não vai mais jogar a summer league. Acho que por um lado é bom, é bom pra ele se acostumar com o nível da NBA apanhando do LaMarcus Aldridge e batendo no Pryzbilla nos treinos do Blazers. Lá ele pode errar ou acertar sem ninguém encher o saco. A cada toco ele vira o melhor pivô da história e a cada erro ele é o novo Olowokandi, dêem um tempo pra ele, é só summer league.

- E como sabiamente disse o Mo Cheeks, o Duncan tomou um baile do Ostertag em sua primeira summer league. Então tudo que acontece lá pode ou não querer dizer alguma coisa.

sábado, 7 de julho de 2007

Começam as summer leagues!

Melhor montagem já feita com Nikoloz Tskitishvili, o Skita.


Muita gente tem vícios terríveis que consomem toda a vida do viciado, e o meu é basquete. Quando a temporada da NBA acabou me segurei entre as finais do Brasileiro e o draft. Quando os dois acabaram foi a hora de esperar as summer leagues, e elas chegaram.

A primeira summer league é a de Las Vegas e começou ontem dia 6 e vai até o dia 15. Entre os participantes, vários times da NBA e a seleção chinesa. Detalhes você pode encontrar aqui nesse link para o site da NBA. Lá você também vai poder assistir aos jogos da summer league ao vivo e de graça.

É de graça e é tosco também.
Não tem narração, não há nenhum adereço gráfico que avise sequer o placar do jogo e os jogadores usam uniformes sem nomes nas costas. Ou seja, tirando os rookies ou sophomores conhecidos que vemos por lá, é bem difícil saber quem é quem! Mas tá valendo! Ano passado nem placar ao vivo no site tinha.


Alguns destaques sobre os jogos de ontem e sobre os times participantes:


- A montagem do começo do post não está lá à toa. Nosso glorioso Nikoloz Tskitishvili, um dos grandes fracassos do draft de 2002 (quinta escolha!), está de volta e deve participar do time do Denver Nuggets, time que o draftou.

- Jackie Butler tem um anel de campeão da NBA pelo Spurs. Tá bom que ele nem entrava, mas ganhou o anel. E agora está no time do Spurs na summer league. Jogou mal, fez 8 faltas (são permitidas 10) e não justifica porque o Spurs foi atrás dele no ano passado e nem porque o Knicks lutou em vão para mantê-lo.

- DeSagana Diop pediu para jogar a summer league. Não é típico de jogadores com mais de 3 anos na liga pedirem pra jogar, já aconteceu com Artest depois de sua suspensão mas não é comum. O jogador disse que quer evoluir seu jogo ofensivo. Ontem ele chutou 6 bolas e não acertou nenhuma.

- Em compensação, Diop continua um bom defensor e estragou a primera cesta de Kevin Durant como jogador do Sonics. Em uma tentativa de bandeja do novato ainda no primeiro minuto de jogo, Diop deu um toco limpo. Bem-vindo à NBA, Durant!

- Oden começou sua carreira profissional fazendo 6 pontos e cometendo 10 faltas. Bem-vindo à NBA, Oden!

- Em quadra só deu LaMarcus Aldridge, com 26pts e 11 rebotes. Será que alguém vai sentir falta de Zach Randolph?

- Alegria para os fãs do Lakers! Sun Yue fez uma bela apresentação pela seleção chinesa distribuindo 9 assistências. Quem quer ver o china em ação pode conferir esse bom vídeo de melhores momentos que incluem lindas assistências e muitos tocos no maior estilo Kirilenko, incluindo um em Carmelo Anthony!

- Yi Jianlian jogou. Pela seleção da China, claro. O uniforme do Bucks ele nem quer ver pela frente. Yi jogou bem, fez 23 pontos mas assim como na liga chinesa ele teve a atenção roubada pelo experiente (e pelo o que eu me lembrava, ruim) Wang Zhi Zhi. Zhi Zhi foi um grande fracasso na NBA mas ontem foi o cestinha da partida com 27 pontos.

- A gente tenta levar basquete a sério, faz análises, discute quem é melhor, quem se encaixa em sistemas e blá blá blá, mas todo mundo começou a gostar de basquete porque é lindo! Então vou parar por aqui com o melhor momento dos jogos de ontem, a cravada de Rudy Gay sobre Yi Jianlian. Como disse o próprio Gay na temporada passada, "Estou feliz que a temporada acabou, essa liga não foi feita para novatos." Bem-vindo à NBA, Yi!

Dupla de Peso

Zach Randolph imitando o Quico

Foi durante o draft. De repente, anunciou-se uma troca envolvendo o New York Knicks. Basicamente, Channing Frye e Steve Francis iam para o Blazers em troca de Zach Randolph. A torcida presente no Madison Square Garden, em NY, foi ao delírio. Levantaram e aplaudiram, assim como o próprio David Lee que era focado pelas câmeras e parecia empolgado com o fato de que ele nunca mais seria titular. Todos muito felizes com o anúncio da chegada de um jogador sensacional, um franchise player, alguém com números excelentes e que, nessa temporada, poderia ter sido All-Star se o Blazers não fedesse tanto.

Os torcedores ficaram tão empolgados que acabaram se esquecendo de uma coisa: o Isiah Thomas nunca acerta.

Veja bem, esse é o homem que contrata jogadores com contratos ridiculamente grandes e que não ganham (na maioria das vezes, nem jogam). Esse é o homem que levou para o Knicks Maurice "Cancer" Taylor, James "Rosquinhas" James e Stephen "Só perco" Marbury. Ele explodiu o teto salarial do time enquanto acomodava o contrato monstruoso de Steve Francis, cujo papel principal no time foi o de vestir ternos caros enquanto esquentava o banco.
Isiah Thomas não pode, em hipótese alguma, ter acertado. Então vamos pegar a troca e olhar muito, muito bem.

Vamos começar pelo Eddy Curry, que teve a melhor temporada da sua carreira. Vamos ignorar seus problemas de peso, sua falta de energia e agressividade. Ele funcionou muito bem no lado ofensivo quando passou a ser o foco principal do ataque do Knicks, fez seus pontinhos e ajudou o time. Mas na defesa, o Curry ainda é o mesmo adolescente gordo dos tempos do Bulls. Pega apenas os rebotes que o acertam na cabeça, e não seria capaz de marcar você ou sua mãe, especialmente se vocês forem mais encorpadinhos.
O complemento ideal para o Curry seria um jogador com muita raça, energia e habilidade defensiva. David Lee faz muito bem esse papel, pegando os rebotes e se tacando em quadra por qualquer coisinha. É por isso que ele passou boa parte da temporada no banco. Porque esse é o Knicks, minha gente.
David Lee não será titular. Não haverá defesa para balancear os defeitos de Eddy Curry. Senhoras e senhores, Isiah trouxe para New York o senhor Zach "Cara de Bolacha" Randolph.
Quer ficar empolgado? Então veja os números: 23 pontos e 10 rebotes por partida. "Uau", você diz. "Vou comprar uma camiseta dele agora mesmo!"
Guarde seu dinheiro para comprar aspirina. Quem já viu Randolph jogar sabe que ele é o possuidor do troféu "Will Smith" de Maior Fominha da Liga. Nas raríssimas vezes em que ele passava a bola para um companheiro de equipe, algum torcedor sempre acabava morrendo na platéia, vítima de um ataque cardíaco com o tremendo susto. Então o Randolph resolveu pensar no valor da vida alheia e acabou com a prática esporádica.
Não há uma jogada em que ele receba a bola e não parta para a cesta. Nunca.

Isso quer dizer que, logo após Eddy Curry finalmente ter rendido bem em uma temporada por ter sido o foco do ataque de seu time, receberá a compania de alguém que nunca o deixará fazer isso. Se o Curry insistir em ficar com a bola nas mãos, é capaz de amanhecer com a boca cheia de formiga. Todos sabem que o Randolph também não vai ganhar nenhum Nobel da Paz por seu caráter...

Como se não bastasse, Randolph é um zero à esquerda (e não um zero como o Gilbert Arenas) no quesito defesa. Não se deixe enganar pelos 10 rebotes por noite, ele tem sérios problemas defensivos, marca muito mal e seus únicos tocos foram dados sem querer, quando ele estava se espreguiçando.

Aplaudam o quanto quiserem, torcedores do Knicks. Vocês agora são os felizes possuídores de uma dupla de garrafão fominha e que não faz a menor idéia do que significa a palavra "defesa" nem usando a Wikipedia pra ajudar.
Posso até estar exagerando, mas acho que em breve os dois formarão uma bela dupla de patetas: o Gordo e o Gordo. Eles vão ser um terror juntos, mas não para os outros times da NBA, e sim, para os rodízios de carne.

quarta-feira, 4 de julho de 2007

Draft 2007

Greg OLDen


A seguir, uma análise de como foi o draft de cada um dos times da NBA.
Corra para o nome do seu time e veja como ele se saiu, descubra se finalmente conseguiu draftar uma estrela ou então o mais novo Greg Ostertag:

Atlanta Hawks (nota 9,5)

Al Horford - 3a escolha

Acie Law - 11a escolha


Pelo quarto ano seguido o Atlanta pegou um ala no draft. Mas parece que o Al Horford pode ser o melhor deles e foi sem dúvida a escolha mais segura. O manager do Atlanta não poderia errar mais uma vez e arriscar seu emprego, foi no óbvio e deu certo. Acie Law é o armador que eles precisam. Agora falta saber se eles vão manter os milhões de alas ou se usam alguém como o Marvin Williams para conseguir um pivô.

Boston Celtics (nota 10)

Jeff Green - 5a escolha

Gabe Pruitt - 32a escolha


Trocou com o Seattle Jeff Green, Wally Szczerbiak e Delonte West por Ray Allen e a escolha 35 do Seattle (Glen Davis)


Perfeito o draft do Boston. Perderam Wally que nem faz tanta falta e ainda ganhava dinheiro demais, e perderam o bom armador Delonte West mas que não fará tanta falta com o bom desempenho de Rajon Rondo e com o draft de Gabe Pruitt. E com isso realizou o sonho de Paul Pierce e deu para ele um all-star. Ray Allen e Paul Pierce podem reviver os bons tempos de Pierce e Walker com 300 arremessos de 3 por jogo, mas dessa vez com os arremessos caindo. Ótimo para o Celtics conseguir um all-star sem perder os promissores Gerald Green e Al Jefferson. Agora eles tem ao mesmo tempo um time para causar impacto imediato e um time para o futuro quando Pierce e Allen não renderem como rendem hoje.

Charlotte Bobcats (nota 8,5)


Brendan Wright - 8a escolha

Jared Dudley - 22a escolha


Trocou com o Golden State Brendan Wright por Jason Richardson e Jermareo Davidson


Uma decisão polêmica e difícil mas acho que necessária para o Bobcats. Brendan Wright pode um dia se tornar um jogador monstruoso e deixar o pessoal do Bobcats puto da vida. Mas quando isso vai acontecer? O Bobcats precisava de algo que fizesse eles deixarem de ser promessa pra começar a ganhar agora e ao mesmo tempo precisavam de um SG que fosse capaz de criar o próprio arremesso. Jason Richardson é esse cara. Li algumas críticas dizendo que o J-Rich ganha muito dinheiro e que o Bobcats poderia usar o espaço que tem no salary cap para assinar um free agent, mas quem seria ele? Carter e seus 30 anos de idade ou o Rashard Lewis que nunca pareceu querer ir pra Charlotte? J-Rich é novo ainda e formará uma bela dupla de armação com Felton. Agora é torcer para continuarem com Gerald Wallace e o Bobcats será um bom time nessa temporada. A nota não é maior pq o risco da escolha é alto.

Chicago Bulls (nota 8)

Joakim Noah - 9a escolha

Aaron Gray - 49a escolha

Jameson Curry - 51a escolha


Gray e Curry até receberam alguns elogios na época dos treinos mas vão penar pra conseguir uma vaga na rotação do Bulls, o que interessa mesmo é a escolha de Noah. Imagine que você é um pequeno armador que vai partir para uma bandeja e quando pisa na área pintada vê Ben Wallace, depois Tyrus Thomas, depois Joakim Noah, todos os 3 pulando, dando tocos, gritando, vibrando, roubando bolas e quando um senta pra descansar não faz diferença porque a qualidade continua alta. E se você é um armador mesmo, já deve estar suando pra passar da marcação de Kirk Hinrich. Em resumo, Noah faz o Bulls, que já foi o líder em rebotes e uma das melhores defesas da liga, o maior inferno defensivo pra qualquer equipe.

A nota é 8 porque eles já eram um inferno defensivo nessa temporada e não passaram do Detroit principalmente porque não tinham alguém que fizesse pontos no garrafão, e o Noah não é esse cara. É como se em um jogo de video game daqueles chatos que você tem que dar energia, pontos, mana ou qualquer coisa do tipo para seu personagem, você melhorasse o que ele tem de melhor e deixasse ele com os mesmos defeitos.

Cleveland Cavaliers (nota 6)

Nenhuma escolha ou troca

Por um lado um time vencedor de conferência em teoria não tem muito o que mexer e mesmo assim deve voltar competitivo na temporada que vem, mas quem viu o Cavs jogar sabe que eles precisam de ajuda e alguns rookies não fariam mal, poderiam ter tentado forçar alguma troca pra ganhar escolhas. O Suns por exemplo deu sua 24a escolha só por dinheiro, o Cavs podia ter dado uma graninha...

Dallas Mavericks (nota 9)


Nick Fazekas - 34a escolha

Renaldas Seibutis - 50a escolha

Milovan Rakovic - 60a escolha

Trocou com o Orlando Milovan Rakovic por Reyshawn Terry.


Um time com 67 vitórias, mesmo com a derrota nos playoffs, já é um time quase pronto. E mesmo assim adicionaram talento à equipe. O próprio Fazekas diz que ele pode ser o melhor jogador alto em arremessos de longe na NBA inteira. Ele treinará ao lado de Dirk pra provar se é verdade ou se ele só tem a boca grande como o Damon Jones. Ele deverá entrar no lugar de Croshere que é Free Agent e não deve fazer falta. Terry fez boa carreira universitária e se provar que tem talento pra NBA pode suprir uma provável saída de Devean George.

Denver Nuggets (nota 7)

Nenhuma escolha ou troca

Assim como o Cavs, não fez nada. Mas eles pelo menos tem um elenco mais pronto que o de Cleveland. O negócio é treinar muito, botar a cabeça de JR Smith no lugar e fazer essa primeira temporada completa de Iverson no Denver uma temporada vencedora. E se possível, mantendo Steve Blake, o principal Free Agent, no time.

Detroit Pistons (nota 8)

Rodney Stuckey - 15a escolha

Arron Afflalo - 27a escolha

Sammy Mejia - 57a escolha


Três boas escolha pelo Detroit. Até Mejia dizem que tem talento pra jogar na NBA. Afflalo tem tudo pra ser um grande defensor e Stuckey chegou até a ser comparado com Wade. Tá, ele não vai ser o Wade e provavelmente nem vai ser titular no Pistons, mas pode acabar sendo o 6o homem que faz pontos vindo do banco de que o time tanto precisa.

O lado ruim é que mesmo Afflalo sendo um bom jogador talvez a escolha 27 fosse a hora de pegar um jogador mais alto. Webber pode até se aposentar, Sheed e McDyess já estão com idade de quem esqueceu o ano em que foram draftados e só sobra Maxiell que ainda não sabemos se um dia vai ser bom o bastante pra ser titular.

Golden State Warriors (nota 10)

Marco Belinelli - 18a escolha

Jermareo Davidson - 36a escolha

Stephane Lasme - 46a escolha

Trocou Jason Richardson e Jermareao Davidson para o Bobcats por Brendan Wright.


A noite perfeita para o Warriors. Eles se livraram do contrato gigantesco de Jason Richardson e conseguiram o jogador que alguns analistas vêem como o 3o maior talento desse draft. Wright é fisicamente perfeito e deve não só se adaptar ao "run and gun" do Warriors como também ajudá-los em seu problema com rebotes, já que foram os piores da liga nesse quesito no ano passado. E não é como se o Jason Richardson fosse fazer muita falta, vão sentir falta das enterradas mas para a posição dele podem jogar Monta Ellis, Mickael Pietrus, Matt Barnes, Stepkhen Jackson e até o novato Belinelli, que quem viu jogar diz que deve se sentir bem à vontade na correria do Warriors.

Houston Rockets (5)

Aaron Brooks - 26a escolha

Brad Newley - 54a escolha


Aaron Brooks é novo, rápido, parece ser bom e vai ter muito o que aprender no Houston já que ele terá uma meia dúzia de outros armadores para ensinar ele a jogar! John Lucas III, Alston, Mike James, Spanoulis... simplesmente muita gente na mesma posição. Enquanto isso, o Houston só tem 4 jogadores para jogar nas posições de PF e C, um deles tem mais de 40 anos e o outro se chama Tsakalids.

Por que não McRoberts? Splitter? Fazekas? Péssimo draft do Houston a não ser que eles tenham muitas cartas na manga envolvendo trocas por jogadores altos.


Indiana Pacers (nota 6)

Trocou uma escolha de 2o round de 2009 por Stanko Barac.

Uau!!! Stanko Barac! Mais um branquelo gigante que aparece no 2o round com promessas de que, além de grande, sabe arremessar!
O fato é que o novo Pavel Podkolzine não deve ajudar em nada o Pacers, que aliás deve ter chorado muito ontem lembrando que não tiveram a 11a escolha pela troca do Al Harrington. E devem ter chorado mais ainda quando lembraram que nem o Al Harrington eles têm mais...

Los Angeles Clippers (nota 9)

Al Thornton - 14a escolha

Jared Jordan - 45a escolha


Todos tinham certeza que o Clippers ia de Javaris Crittentton para o lugar de Shaun Livingston, machucado, e de Cassell, velho. Mas todos achavam que Thornton já estaria escolhido antes da 14a escolha. Quando ele sobrou, o Clippers não teve dúvida e pegou o ala. Boa escolha! Thorton parece ter potencial para fazer mais diferença na NBA que Crittentton, e com a possível saída de Maggette ele se tornaria importante no Clippers. O problema na armação do Clippers ainda está sem solução mas provou não ser tão difícil, Jared Jordan parece ser um grande armador com grande chance de futuro na NBA ao menos como um bom reserva e, para a posição de titular, ainda se pode apostar em Cassell por mais uma temporada, tentar conseguir um armador em uma troca envolvendo Maggette ou até conseguir um via Free Agency: Billups e Mo Williams estão livres, Brevin Knight acabou de ser dispensado pelo Bobcats e os boatos dizem que Steve Francis será dispensado pelo Blazers.

Los Angeles Lakers (nota 7)

Javaris Crittentton - 19a escolha

Sun Yue - 40a escolha

Marc Gasol - 48a escolha


O Lakers precisava de um armador. Pegou o promissor Crittentton. Precisava de mais jogadores de garrafão. Pegou Marc Gasol. E ainda pegou o chinês Sun Yue que alguns dizem ter as características de Toni Kukoc. Então por que nota 7?

Simples, porque quando você tem o melhor jogador do planeta insatisfeito e querendo companheiros que façam um time vencedor você tem que arriscar, trocar, ir atrás de algo e não só pegar bons jogadores que vão ser role players e vão perder na primeira rodada dos playoffs para o Suns.

Pergunta: se Kobe é o novo Jordan, Odom é seu Pippen, eles draftaram alguém que joga como o Kukoc e ainda tem o Phil Jackson, por que todo mundo tem tanta certeza de que o Lakers vai perder? Será que o Rodman faz tanta falta assim ou só essas comparações com jogadores do passado é que são idiotas?

Miami Heat (nota 7)

Jason Smith - 20a escolha

Stanko Barac - 39a escolha

Trocou Jason Smith para o Philadelphia em troca de Daequan Cook

Trocou Stanko Barac por uma escolha de 2o round em 2009.


O Heat precisa ficar mais novo e precisa de um arremessador. Daequa Cook é novo, mas não sei se pode ser um grande arremessador ou até se pode vir a entrar na rotação do Heat com algum impacto. Cook foi péssimo na fase final da NCAA quando só Conley e Oden apareceram pra jogar em seu time. Uma escolha bem duvidável, o Heat poderia ter ficado com Jason Smith.

Milwaukee Bucks (nota 8,5)

Yi Jianlian - 6a escolha

Ramon Sessions - 56a escolha


Conseguir Sessions no fim do draft foi ótimo para o Bucks. O armador deve ter chance com as possíveis saídas de Mo Williams e Boykins. Sobre Yi, a questão é mais complicada. Ele parece ser talentoso e terá tempo para se desenvolver sem a necessidade de ser titular já que o time tem Villanueva e Bogut. Mas não é como se o Bucks estivesse bom o bastante para se dar ao luxo de esperar ele se desenvolver pra depois ver se ele tem uma vaga no time ou não. Bobby Simmons foi mal em sua primeira temporada no Bucks e não jogou a temporada passada porque estava machucado, então talvez a melhor escolha fosse Corey Brewer que está pronto para a NBA, é um ótimo defensor, faz seus pontos e ainda pode jogar de SG, dando um descanso merecido para Micheal Redd.

Os boatos dizem que os agentes de Yi não queriam ele em Milwaukee porque lá não tem colônia chinesa. Será que é isso ou ele em Milwaukee não é lucrativo como seria um chinês sensação em seu país jogando por um time famoso como o Bulls? O negócio chegou ao ponto de não deixarem o Bucks ver treinamentos de Yi.

Minnesotta Timberwolves (nota 8,5)

Corey Brewer - 7a escolha

Chirs Richard - 41a escolha


Brewer tem tudo pra se destacar na NBA como grande defensor e jogador completo mas não vai fazer o Minessota se transformar numa ameaça no Oeste. Pelo menos, recomeçar uma franquia com Brewer e Foye é um ótimo começo. O próximo passo é finalmente trocar Garnett e conseguir mais valores jovens e escolhas de draft para a equipe voltar a ser competitiva daqui há uns anos.

Memphis Grizzlies (9,5)

Mike Conley Jr - 4a escolha


A escolha ideal. Um ótimo armador para uma equipe que tem um bom núcleo com Mike Miller, Rudy Gay, Hakim Warrick e Pau Gasol, que é o mais velho com apenas 27 anos.

New Jersey Nets (8,5)


Sean Williams - 17a escolha


Ler as descrições de Sean Williams faz você imaginar o motivo que fazia ele ser só a 26a escolha ou até um 2o round na maioria das previsões por aí. Ele é alto, forte, tem uma envergadura monstruosa e ótima habilidade defensiva. O Nets também deve ter se perguntado a mesma coisa e pegou ele logo na 17a escolha. O porém é o comportamento de Sean fora das quadras, ele gosta de fumar uma ervinha nas horas vagas e se o David Stern não deixa nem os jogadores se vestirem como querem, imagina como é com drogas. Alto risco mas um grande jogador, pode ser a peça que falta pro Nets ou o mais novo Eddie Griffin.

New Orleans Hornets (9)

Julian Wright - 13a escolha

Adam Haluska - 43a escolha


Julian Wright deve ser ideal para o lugar de Desmond Mason, que deve sair mesmo de New Orleans. Um grande passador, defende e faz de tudo um pouco. Talvez a falta de arremesso de fora atrapalhe, mas nada que eles já não tivesse q lidar tendo o Desmond Mason na equipe.

Em um esquema complexo e que envolve passes, entrosamento e inteligência, Wright deve se dar bem. Enquanto isso Peja Stojakovic cuida das bolas de fora.

New York Knicks (8)

Wilson Chandler - 23a escolha

Trocou Steve Francis e Channing Frye para o Portland por Dan Dickau, Fred Jones e Zach Randolph.

Trocou uma escolha de 2o round de 2008 para o Portland por Demetris Nichols.


Só falando em draft, a nota é 8. Wilson Chandler vai se juntar a David Lee e a Renaldo Balkman como jogadores que vem do banco para pegar os rebotes, dar tocos, dar energia. Mas o grande momento do Knicks na noite de ontem foi a troca por Zach Randolph. Um jogador enorme que faz 23 pts e 10 rebs toda noite é um achado no Leste, e eles só perderam o indesejado Steve Francis e Channing Frye, que definitivamente não se deu bem com Curry na quadra. A pergunta que fica é: por que então o Randolph vai dar certo com o Curry? Ambos não defendem, ambos não jogam com energia, são lentos e muitas vezes fominhas. Talvez David Lee, Balkman e Wilson Chandler estejam aí justamente pra ensinar aos dois isso tudo...


Orlando Magic (5)

Reyshawn Terry - 44a escolha

Trocou Reyshawn Terry para o Dallas por Milokan Rakovic e dinheiro.


O Orlando já tinha trocado sua escolha 54 para o Houston em troca de dinheiro e agora trocou a 44 pela última e mais dinheiro. Rakovic deve voltar pra europa e o Orlando sai de um dos drafts mais cheios de talento na história sem nenhum jogador. Deveriam ter forçado alguma troca, a equipe precisa de melhoras.

E qual é a desses times que envolvem tanto dinheiro em trocas? Eles estão falindo e a gente não sabe?

Philadelphia 76ers (nota 7,5)

Thaddeus Young - 12a escolha

Daequan Cook - 21a escolha

Petteri Koponen - 30a escolha

Trocou Daequan Cook e mais uma escolha de 2o round por Jason Smith para o Heat.

Trocou Petteri Koponen por Derrick Byars (42a escolha) e dinheiro.


Se o Hawks é o time que só drafta alas, o Sixers é o time que só drafta jogadores extremamente atléticos. Foi Iguodala, depois Rodney Carney e agora Thaddeus Young. Os 3 jogam nas posições de SG e SF e enquanto isso o Sixers não tem um PF. O que custava deixar pra lá mais um SF atlético e que ao invés de basquete só tem "potencial", e ao invés disso pegar um bom PF como Thornton (que também pode jogar de SF se eles querem tanto assim um)?

Jason Smith é PF como eles precisam mas não tem o talento de Thorton, nessa escolha eles poderiam ter tentado um C como Splitter ou um arremessador como Almond.

A última escolha do 1o round era a hora de conseguir um PG pra ser reserva de Andre Miller e um projeto para o futuro, e Koponen parece ter sido a escolha certa. Mas como o Sixers pode acertar? Não, jamais! Trocaram a 30a escolha pela 42a! Nem uma criança acha a lógica nisso, por mais dinheiro que o Blazers tenha mandado. Por sorte a escolha 42 foi Derrick Byars, que tem talento para ser 1o round mas acabou escapando. Ele é um grande chutador, coisa que o Sixer só tem em Kyle Korver.


Phoenix Suns (nota 6)

Rudy Fernandez - 24a escolha

Alando Tucker - 29a escolha

DJ Strawberry - 59a escolha


Dois anos atrás o Suns draftou Luol Deng e não ganhou quase nada em troca. Ano passado foi a vez de draftar Rajon Rondo e não sair com nada. Nesse ano foi a vez de draftar Rudy Fernandez e trocar ele por dinheiro, simplesmente. O Philadelphia trocou Allen Iverson em busca de escolhas de 1o round e o Suns vem e diz que só precisa de dinheiro pra quem quiser pegar a escolha deles. Naquele fatídico jogo 5 da série contra o Spurs, com Amaré e Diaw fora do jogo, os únicos reservas em quadra foram James Jones e Pat Burke. Talvez com Rondo e Deng a história fosse outra.

Fernandez é rápido, agressivo, ataca a cesta e gosta de jogar em um time rápido, seria ideal para o Suns, mas perderam. Depois pegaram Tucker que tem como defeito o arremesso de fora mas também é agressivo, pode ser útil.

DJ Strawberry pode acabar na D-League nessa temporada mas é um reconhecido marcador, talvez seja útil para quando o Suns enfrentar times com grandes estrelas e Raja Bell não der conta.

Portland Trail Blazers (nota 10)

Greg Oden - 1a escolha

Josh McRoberts - 37a escolha

Derrick Byars - 42a escolha

Taurean Green - 52a escolha

Demetris Nichols - 53a escolha

Trocou dinheiro por Rudy Fernandez com o Suns

Trocou dinheiro e Derrick Byars por Petteri Koponen com o Sixers

Trocou Dan Dickau, Fred Jones e Zach Randolph por Steve Francis e Channing Frye.

Trocou Demetris Nichols para o Knicks por uma escolha de 2o round em 2008.


Segundo draft seguido que o Blazers dá trabalho pra quem está acompanhando, graças à quantidade de trocas. Foram as duas maiores histórias da noite, com a troca de Zach Randolph e a escolha de Oden.

Oden era a escolha mais fácil e vem pra mudar a NBA como LeBron fez em 2003. Randolph era um mal exemplo fora da quadra, não defendia e só tiraria minutos da dupla Aldridge e Oden, que precisam evoluir. Francis chegou mas já deve ir embora, mandando ele embora o Portland fica com muito espaço no teto salarial para reassinar Roy, Aldridge, Oden e Frye quando for preciso. Frye, aliás, com seu jeito finesse de jogar e jumpers de longe, pode ser o complemento ideal para o jogo defensivo e físico de Oden.

Rudy Fernandez e Sergio Rodriguez foram a sensação do último Mundial com muito entrosamento, muitas pontes aéreas e muita produtividade pela seleção espanhola. A dupla agora segue junta pra vir do banco e botar fogo nos jogos do Portland.

A dúvida para uma possível troca é a quantidade de armadores e a falta de alas. Somente Webster, Udoka e Outlaw são small forwards no Portland e nenhum impressiona. Enquanto isso, eles tem Jarret Jack, Sergio Rodriguez, Petteri Koponen e Taurean Green como armadores. Vamos ver como o Portland nos surpreende, mas com certeza será positivamente.


Sacramento Kings (nota 7)

Spencer Hawes - 10a escolha

Uma escolha estranha. O time era apático no ano passado, lento, sem vontade, principalmente em seus homems de garrafão. Kenny Thomas, Shareef, Brad Miller, todos são lentos e pouco atléticos.

Para resolver o problema o Kings escolhe um pivô talentoso mas que tem como defeitos a falta de atleticismo, rebote e intensidade. Escolha parecida com a do Bulls, mas com um time mil vezes pior.


San Antonio Spurs (nota 9)

Tiago Splitter - 28a escolha

Giorgos Printezis - 58a escolha

Trocou Giorgos Pritenzis para o Raptos por uma escolha de 2o round de 2008.


O Spurs nem precisa de muita coisa para o time deles, o time já é completo e mesmo assim conseguiram o nosso talentoso Splitter. Com um acordo com o TAU Ceramica isso pode render nessa temporada para o Spurs o argentino Scola e para a próxima Splitter. Nada mal para os campeões.

O grego da 58a escolha eu não conheço, mas ele foi pego pelo Spurs e mandado para o Raptors, as duas maiores autoridades da NBA em gringos. Então eu confio.

Seattle Supersonics (nota 10)

Kevin Durant - 2a escolha

Glen Davis - 35a escolha


Trocou Ray Allen e Glen Davis para o Celtics por Delonte West, Wally Szczerbiak e Jeff Green (5a escolha)

Kevin Durant era fácil, um futuro all-star.

A outra troca é a mais polêmica, mas acho que correta. Ray Allen já tem 32 anos e não vai poder ajudar quando Durant chegar em seu auge. Jeff Green, por outro lado, parece ser um jogador muito talentoso e que pode jogar tanto de SF quanto de PF. Wally será uma boa ajuda do banco até o dia em que seu contrato acabar e o Sonics tiver espaço para assinar free agents.

Por fim, Delonte West soma o poder ofensivo de Ridnour e o defensivo de Watson para finalmente render ao Sonics um armador em que possam confiar.

Toronto Raptors (nota 6)

Trocou uma escolha de 2o round de 2008 por Giorgos Pritenzis


O Raptors poderia ter tentado algo, já que o draft era profundo. Mas ao mesmo tempo, é bom que deixem o time que já é bom evoluir um pouco mais.

Utah Jazz (nota 9,5)

Morris Almond - 25a escolha

Herbet Hill - 55a escolha


Durante os playoffs não foi difícil perceber que o Jazz precisava de duas coisas: uma era um defensor na posição 2 porque Fisher estava lá improvisado e Kirilenko às vezes parece grande demais para marcar um armador pequeno. A segunda necessidade era a de arremessos de longa distância. E foi essa que eles resolveram.

Almond é muito talentoso, excelente arremessador e deve conseguir uma vaga de titular na equipe. No problema defensivo, Kirilenko que se vire! Ele ganha bem pra isso...

Washington Wizards (nota 8,5)

Nick Young - 16a escolha

O talento de Nick Young na 16a escolha não é algo que se vê todo ano no draft. Ele também resolve um problema que o próprio Gilbert Arenas disse que o time tinha, pontos vindos do banco de reserva. Eles não tinham alguém que viesse do banco pra mudar a cara do jogo.

Problema resolvido mas o time ainda tem outros. Talvez a falta de um C e de rebotes fossem problemas mais imediatos, mas de qualqer forma não dava pra deixar Young passar, é melhor não irritar o Arenas!

terça-feira, 3 de julho de 2007

Bem-vindo



Bem-vindo ao Bola Presa, seu novo blog de basquete e NBA!

Aqui, o espaço é livre para debater, comentar, dar cotovelada, brigar pela bola e olhar pro juiz pedindo "bola presa".
A intenção não é ser um blog informativo, com notícias fresquinhas e diárias. A intenção é, sim, criar um espaço opinativo e bem-humorado que, convenhamos, falta (e muito) na internet brasileira.

Quando foi a última vez que você riu lendo um site de basquete? Quando foi a última vez que leu um texto opinativo e sem travas na língua, disposto a esculhambar e escrachar sem vergonha um jogador qualquer sem se preocupar em ser politicamente correto?
E, caso você não concorde de tirarmos sarro do seu jogador favorito, ótimo! Use a caixa de comentários para meter o pau na gente. O objetivo aqui é, justamente, opinar e discordar. Não tenha medo de se meter numa bola presa com a gente, aqui no blog não existe falta!

Os posts serão feitos regularmente por Danilo Silvestre e Denis Botana, dois aficcionados por basquete e fãs de longa data. E, sempre que surgir alguma polêmica entre nós, algum texto divergente, não teremos medo de discutir e invocar a coluna "Bola Presa" pra resolver a disputa!

O blog também conterá muitas análises mais sérias, mas o grande objetivo é ser completamente opinativo, livre e sem medo de falar o que realmente pensamos.
O mundo não precisa concordar se eu disser que o Najera vai ser MVP da próxima temporada, o blog é nosso e pronto! Mas sinta-se à vontade para se meter nele e brigar por todas as bolas que você quiser!

Espero que acompanhar o blog seja tão divertido quanto o é escrevê-lo!

Abraços,
os Editores